Economia

Insolvências aumentam na Madeira

Os aumentos mais notórios registam-se em Faro (acréscimo de 22,4%), Portalegre (11,1%), Bragança (7,1%) e na Madeira (7.7%).

Insolvências aumentam na Madeira

© DR

As insolvências em Portugal diminuíram 13% em novembro face ao mês homólogo de 2016, segundo dados recolhidos pela Iberinform, mantendo uma tendência que se prolonga há oito meses.

Segundo a filial da Crédito y Caución, em novembro foram registadas 622 insolvências, menos 93 do que em 2016, e o acumulado do ano totaliza 5.849 empresas insolventes, valor também inferior ao do ano passado (menos 836) e que traduz um decréscimo de 12,5%.

Lisboa e Porto são os distritos com o número de insolvências mais elevado, 1.596 e 1.209 respetivamente, embora tenham diminuído 2,4% e 17% relativamente a igual período de 2016.

De acordo com os dados recolhidos pela Iberinform, os distritos com decréscimos mais significativos são: Angra do Heroísmo (70,4%), Beja (40,5%), Coimbra (39,8%) e Ponta Delgada (39,1%).

Os aumentos mais notórios, por sua vez, registam-se em Faro (acréscimo de 22,4%), Portalegre (11,1%), Bragança (7,1%) e na Madeira (7.7%).

Os setores que apresentam maior variação no número de insolvências são a eletricidade, gás e água (menos 22,2%), agricultura, a caça e pesca (menos 20,4%), indústria extrativa (menos 20%), comércio de veículos (menos 17,8%), construção e obras públicas (menos 17,2%), comércio por grosso (menos 14,9%) e comércio a retalho (menos 14%).

O setor de telecomunicações, por seu turno, apresenta uma variação nula e apenas os setores de hotelaria e restauração e outros serviços registam redução inferiores a dois dígitos, de 3,4% e 8,9% respetivamente, acrescenta.

Ao nível das constituições, no mês em análise, a Iberinform diz que foram constituídas 3.160 novas empresas, o que se traduz num crescimento homólogo de 14% e, no acumulado do ano, num aumento de 9,7% (total até novembro de 37.575 novas empresas).

Lisboa mantém a liderança destacada, com 12.652 novas empresas, e um aumento de 5,8% em relação a 2016.

O distrito de Lisboa representa 33,7% do total nacional, reforçando o seu peso em 1,5% em 2017.

O Porto surge na segunda posição, com 6.588 constituições, embora com uma queda de 2,6% face ao ano transato, com o distrito a representar 17,5% do total nacional.

Braga ocupa a terceira posição, com 2.742 constituições (decréscimo de 2,5% face a 2016), seguido pelo distrito de Setúbal com 2.587 constituições (aumento de 11,4%).

Os três setores com maior peso são outros serviços (46,6%), hotelaria/restauração (12,4 %) e comércio a retalho (9%).

LUSA