Economia

Madeira é a única região do país a ver baixar o número de dormidas em agosto

Em agosto, registaram-se aumentos das dormidas em todas as regiões com exceção da Madeira (-4,0%), destacando-se o Norte com um crescimento de 6,8%, o Alentejo (+5,8%) e os Açores (+5,5%).

Madeira é a única região do país a ver baixar o número de dormidas em agosto

© DR

O setor do alojamento turístico registou em agosto aumentos homólogos de 6,6% nos hóspedes e de 2,6% nas dormidas para 3,3 milhões e 9,5 milhões, respetivamente, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os proveitos totais aumentaram 6,4% em agosto face ao mesmo mês de 2018, acelerando face à subida de 5,6% em julho e atingindo 630,1 milhões de euros, enquanto os proveitos de aposento (502,0 milhões de euros) cresceram 6,5%, também acima do aumento de 5,0% no mês anterior.

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) foi de 84,4 euros (mais 1,5%, quando tinha crescido 0,2% no mês anterior) e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) também acelerou, correspondendo a 115,9 euros, uma subida de 2,5% que superou o aumento de 0,4% do mês anterior.

Em agosto de 2019, a estada média (2,88 noites) reduziu-se 3,7% (-4,4% nos residentes e -3,2% nos não residentes), enquanto a taxa líquida de ocupação (68,3%) recuou 1,9 pontos percentuais (-1,4 pontos percentuais em julho).

O mercado interno registou um crescimento superior ao dos mercados externos, contribuindo com 3,4 milhões de dormidas, num aumento de 3,2% (+3,1% em julho), tendo as dormidas dos mercados externos (peso de 64,3% em agosto) crescido 2,3% (+2,4% em julho) e atingido 6,1 milhões.

Segundo o INE, nos primeiros oito meses do ano, as dormidas aumentaram 4,0%, com contributos positivos quer dos residentes (+6,6%), quer dos não residentes (+2,9%).

O mercado britânico (18,1% do total das dormidas de não residentes em agosto) registou um aumento de 1,1% em agosto, uma evolução semelhante à verificada nos primeiros oito meses do ano (+1,2%), enquanto as dormidas de hóspedes espanhóis (17,7% do total) cresceram 4,1%, acumulando um aumento de 7,4% desde o início do ano.

Já o mercado francês (12,2% do total) registou um ligeiro decréscimo em agosto (-0,3%), tendo diminuído 2,0% no conjunto dos oito primeiros meses do ano, e as dormidas de hóspedes alemães (8,8% do total) mantiveram a tendência de quebra, recuando 8,3% em agosto e 6,6% desde o início do ano.

O INE destaca ainda os mercados norte-americano, brasileiro e irlandês (quotas de 4,6%, 4,2% e 4,1%, respetivamente), pelos crescimentos de 21,4%, 19,8% e 19,4%, respetivamente, em agosto, e de 19,3%, 14,0% e 9,5% em termos acumulados.

Desde o início do ano, aponta também o crescimento de 15,5% registado pelo mercado chinês.

As dormidas de hóspedes espanhóis (12,1% do total) cresceram 7,6% em julho, e 8,4% desde janeiro, enquanto os mercados brasileiro e norte-americano (quotas de 5,9% e 5,7%, respetivamente) aumentaram 18,3% e 10,3% em julho, contra aumentos de 13% e 19% em termos acumulados no ano.

Em agosto, registaram-se aumentos das dormidas em todas as regiões com exceção da Madeira (-4,0%), destacando-se o Norte com um crescimento de 6,8%, o Alentejo (+5,8%) e os Açores (+5,5%).

Já o Algarve concentrou 36,0% das dormidas, seguindo-se a Área Metropolitana de Lisboa (quota de 21,2%).

Desde o início do ano, o realce do INE vai para os acréscimos apresentados pelo Norte (+9,7%) e Alentejo (+8,7%).

C/ LUSA