Economia

Movimento de passageiros recupera

Os passageiros movimentados nos aeroportos da Região Autónoma da Madeira aumentaram no conjunto dos primeiros sete meses de 2021, divulgou a Direção Regional de Estatística da Madeira.

Movimento de passageiros recupera
Desde cerca de meados de março de 2020 que os portos da Região praticamente deixaram de receber navio de cruzeiro. Em junho e julho de 2021 houve algum movimento, mas pouco expressivo. 
Considerando o conjunto de embarcados, desembarcados e em trânsito, aqueles meses registaram um total de 372 e 68 passageiros, respetivamente, resultado de 3 e 1 escalas realizadas. 

Na linha Madeira-Porto Santo, o 1.º semestre de 2021 teve uma perda de 2,8% em termos homólogos, não obstante a recuperação de 26,8% no 2.º trimestre do corrente ano, que foi insuficiente para colmatar a quebra de 57,2% no 1.º trimestre.

Quanto ao movimento de mercadorias nos portos da Região, o crescimento nos primeiros seis meses do ano ascendeu aos 4,4%. Contudo, os primeiros três meses do ano foram de decréscimo, que no cômputo do trimestre atingiu os 18,4%. Contrariamente, o 2.º trimestre foi bastante positivo (+34,8%).

A entrada de iates nas marinas da Região também recuperou em 2021. Nos primeiros seis meses deste ano, o número de embarcações entradas nas marinas da Região cresceu 39,8%, enquanto o somatório dos
tripulantes e passageiros aumentou 22,6%. Novamente foi o 2.º trimestre de 2021 a impulsionar este desempenho, pois o 1.º trimestre revelou-se negativo.

Os passageiros movimentados nos aeroportos da RAM também aumentaram no conjunto dos primeiros sete meses de 2021, embora de forma ligeira (+1,7%). Desde abril de 2021, embora em desaceleração, que os crescimentos são muito significativos, compensando a quebra verificada no 1.º trimestre (-80,8%). Em julho e 2021, o incremento homólogo foi de 333,5%.

No domínio dos transportes terrestres, os passageiros transportados nos autocarros no 1.º semestre de 2021 cresceram 11,1% em termos homólogos. Nas carreiras urbanas (+3,7%), o aumento foi menos significativo que nas interurbanas (+25,4%).

Por trimestre, e tal como em muitas das áreas abordadas neste “Em Foco”, o 1.º trimestre foi negativo (-37,4%), sendo compensado pelo desempenho do 2.º trimestre (+158,2%).

Em 2020, as medidas restritivas para controlo da pandemia provocaram a redução dos acidentes de viação, com aqueles acidentes onde se contabilizaram vítimas a diminuírem 23,3%. No 1.º semestre de 2021, com o aumento do tráfego comparativamente ao mesmo período do ano anterior, os acidentes com vítimas cresceram 15,4%.