Economia

Porto do Funchal vai fazer primeiro ‘turnaround’ até aos 1.500 passageiros

O porto do Funchal vai alugar equipamentos de raio-X para efetuar o primeiro 'turnaround' de até 1.500 passageiros, revelou à Lusa a Administração dos Portos da Madeira (APRAM).

Som: Lígia Correia, presidente do conselho de administração da APRAM | Antena 1 Madeira © VisitMadeira

"A APRAM vai alugar equipamentos de raios-X para o primeiro 'turnaround' (navios com partida e chegada ao Funchal, e não apenas a fazer escala), com movimentos médios de 1.000 a 1.500 passageiros, a acontecer nos dias 4, 5 e 6 de dezembro próximo, com o navio "Mein Schiff Herz", explicou à Lusa a presidente do conselho de administração da APRAM, Lígia Correia.

Esta "é a primeira experiência de locação, num novo serviço a prestar pelo porto do Funchal no âmbito do 'turnaround' e obriga a alterar o contrato programa com o Governo Regional que definia a compra do equipamento.

A "operação de 'turnaround', que implica um trabalho de estrita colaboração com o aeroporto, é um novo desafio para o porto do Funchal que até agora, tinha a experiência com movimentos até 500 passageiros, em ?turnaround' total ou parcial", disse.

Para a operação, a APRAM estima que sejam movimentadas um total de três mil bagagens no embarque e desembarque.

"Um movimento tão grande de bagagens e passageiros obrigou a APRAM a lançar novo procedimento para a compra de outros equipamentos necessários à operação", explicou.

A APRAM alega que tem já preparada a chamada bolsa de horas que lhe vai permitir, nos dias com maiores picos de trabalho, contratar pessoas para trabalho pontual.

"Também já decorreram reuniões com entidades como o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Alfandega, Polícia Marítima, responsáveis da parte operacional e o próprio agente do navio, de modo a acertar todos os pormenores que assegurem uma operação eficiente", vincou.

O navio vai acostar preferencialmente no cais 3 e ficará na Madeira 48 horas, devendo chegar às quartas-feiras, às 14h00, e sair às sextas, à mesma hora, "precisamente nos dias em que há menos navios no porto do Funchal".

"Apanhará, assim, os voos diretos do mercado alemão das quintas-feiras, embora possam existir passageiros que chegarão individualmente e que poderão ficar na Madeira uns dias, antes do embarque ou após o desembarque", explicou.

A rota engloba, além da Madeira, as ilhas Canárias e, alternadamente, os Açores e Cabo Verde.

Entre novembro de 2019 e abril de 2020, o navio "Mein Schiff Herz" vai fazer 13 escalas no porto do Funchal, seis delas em 'turnaround' que acontecerão, mais ou menos, de três em três semanas.

C/ LUSA