Política

136 mil precários perderam emprego (vídeo)

Um estudo da CGTP revela que a maioria das mulheres com este tipo de vínculo laboral não tem acesso a subsídio de desemprego.

A central sindical considera os apoios do Estado no contexto da pandemia insuficientes e pede medidas de reformas estruturais.

A crise do setor da hotelaria é apontado como um dos fatores que mais levou trabalhadores precários ao desemprego.

Um estudo da CGTP com dados do Instituto Nacional de Estatística revela que em 2020, 136 mil precários ficaram sem emprego. Destes, 67 mil são mulheres.

E o tipo de contrato não permite aceder a qualquer prestação de desemprego.

A central sindical critica a atuação do governo no que toca aos apoios dos mais afetados pela crise económica criada pela pandemia.

Maior estabilidade no emprego é o objetivo.

E para a CGTP o Plano de Recuperação e Resiliência deve ser a alavanca para lá chegar.