Política

Duas bases aéreas russas atacadas por «drones» ucranianos

O Ministério da Defesa da Rússia afirmou que duas bases aéreas situadas no centro do país foram hoje atacadas por ‘drones’ (aeronaves não-tripuladas) ucranianos, fazendo três mortos.

Duas bases aéreas russas atacadas por «drones» ucranianos

© DR

Num comunicado, o ministério russo indicou que hoje de manhã, “o regime de Kiev (…) tentou efetuar ataques com ‘drones’ de fabrico soviético à base aérea de Diaguilevo, na região de Riazan, e à de Enguels, na região de Saratov”.

Três militares russos “foram mortalmente feridos” nesses ataques, refere ainda a nota de imprensa, citada pela agência de notícias francesa AFP.

Segundo a agência norte-americana Associated Press (AP), a Rússia afirmou ter intercetado os ‘drones’ ucranianos que atacaram as duas bases aéreas russas, mas que, ainda assim, os danos causaram a morte de três militares.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas – mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa – justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra, que hoje entrou no seu 285.º dia, 6.702 civis mortos e 10.479 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.


Lusa