Política

Guterres volta a defender «plano de vacinação mundial»

O secretário-geral da ONU, António Guterres, apologista de uma resposta coordenada e igualitária da comunidade internacional, afirmou hoje que “apenas um plano de vacinação mundial pode terminar com uma pandemia mundial e uma situação injusta e imoral”.

Guterres volta a defender «plano de vacinação mundial»

© DR

“Apesar do desenvolvimento de vacinas eficazes num tempo recorde, houve mais mortos em 2021 em comparação com 2020” e “a pandemia continua a devastar, nos países desenvolvidos e nos países em desenvolvimento”, revelou o chefe da ONU na abertura de uma reunião anual, em formato virtual, dos ministros dos Negócios Estrangeiros do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão, Reino Unido) e da China.

“Cada pessoa, em todo o mundo, deve ter acesso às vacinas, aos testes e aos tratamentos contra o covid-19”, insistiu António Guterres.

“O conjunto do sistema das Nações Unidas apoia a estratégia de vacinação contra a covid-19 definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), cujo objetivo consiste em vacinar 40% da população de cada país até ao final de 2021 e 70% até meados do próximo ano”, precisou.

Segundo a ONU, apenas 12 países com rendimentos médios, 27 com rendimentos superiores e 71 com um elevado nível de rendimentos alcançaram a barreira dos 40% de pessoas vacinadas. Nenhum país incluído na categoria de baixo rendimento atingiu este patamar.

Em 25 de novembro, segundo a ONU, 3,2 mil milhões de pessoas estavam completamente vacinadas, e 4,15 mil milhões receberam pelo menos uma dose de vacina anti-covid.

C/Lusa