Política

Líder do PS/Madeira diz que abstenção foi grande vencedor na região

O presidente do PS/Madeira considerou, no domingo, que o grande vencedor das eleições europeias foi a abstenção, responsabilizando o Governo Regional por não ter esclarecido os madeirenses sobre a importância dos fundos comunitários

© Emanuel Câmara

“Como mandam as boas regras democráticas, quero saudar o PSD-Madeira pela vitória na região nestas eleições para o Parlamento Europeu”, disse Emanuel Câmara comentando o resultado do ato eleitoral e a eleição da candidata socialista Sara Cerdas para o Parlamento Europeu.

O PSD venceu, no domingo, em nove dos 11 concelhos da Madeira, tendo os socialista ganhado apenas em dois (Porto Moniz e Machico)

O líder dos socialistas madeirenses destacou que “o grande vencedor foi a abstenção”.

“Penso que a abstenção na Madeira tem um grande responsável. É o Governo Regional [PSD] desta terra que, ao fim de 35 anos a gerir os destinos desta região, aprova e inaugura as obras, esquecendo-se de elucidar a população que essas obras só são feitas com apoios comunitários”, argumentou o responsável do PS madeirense.

Para o presidente do PS/Madeira, o eleitorado do arquipélago, deu um “cartão amarelo” ao PSD, porque os socialistas conseguiram “subir a votação em todos os concelhos”.

Emanuel Câmara falou ainda do “trabalho humilde de formiguinha feito pelos autarcas”, que estão focados no dia 22 de setembro para o PS dar um “cartão vermelho ao PSD” nas eleições regionais.

"O único ex-árbitro aqui sou eu e vou dar o cartão vermelho ao PSD no dia 22 de setembro ao lado de Paulo Cafôfo", afirmou, antevendo um dia “histórico para a Região Autónoma da Madeira”.

Referindo-se ao resultado de domingo, Emanuel Câmara considerou, contudo, que as eleições europeias e as eleições regionais são atos diferentes.

“Não podemos comparar coisas que não são comparáveis. As eleições para o Parlamento Europeu são um ciclo fechado. Conseguimos credibilizar o partido, colocando Sara Cerdas num lugar elegível e foi um ciclo vitorioso”, destacou.

O dirigente socialista regional reiterou a convicção que, em 22 de setembro, com Paulo Cafôfo, será efetuada a grande mudança, numas eleições que são para escolher um novo presidente e um novo governo regional.

O PSD foi o partido mais votado na Região Autónoma da Madeira nas europeias de hoje, com 37,15% dos votos, quando estão apurados os resultados das 54 freguesias, segundo os dados oficiais da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna.


LUSA