Política

Novo Governo da Madeira tem uma vice-presidência e nove secretarias

Augusta Aguiar, na Inclusão e Assuntos Sociais, Pedro Fino nos Equipamentos e Infraestruturas e o regresso de Eduardo Jesus ao Turismo, são as grandes novidades do novo Governo Regional, que vai tomar posse na próxima terça-feira. O XIII Governo Regional da Madeira, presidido pelo social-democrata Miguel Albuquerque, terá nove secretarias, mais duas do que o atual executivo e mantém quatro secretários do governo anterior.

© RTP Madeira

O novo executivo regional mantém a Vice-Presidência mas cresce no número de secretarias. Passa de sete para nove secretarias regionais, duas delas vão ser dirigidas por mulheres.

Miguel Albuquerque, o presidente do Governo Regional da Madeira, mantém a Vice-Presidência nas mãos de Pedro Calado. Vai tutelar as pastas das finanças, os transportes marítimos, o Porto Santo, a administração pública, as empresas públicas e os assuntos parlamentares. Pedro Calado continua ainda a coordenação política do Governo, à semelhança do que aconteceu no anterior executivo.

Rui Barreto, líder do CDS-PP que integra o governo de coligação, fica com as pastas da economia e dos transportes terrestres.

Eduardo Jesus está de regresso ao governo e à área que bem conhece. Vai tutelar a Secretaria do Turismo e Cultura, que passa a integrar os transportes aéreos, uma atividade muito ligada ao turismo e que tantos 'dissabores' tem dado, não só em termos de subsídio de mobilidade como também no que respeita aos condicionamentos do Aeroporto da Madeira. De saída está Paula Cabaço.

Pedro Ramos continua a tutelar a Secretaria da Saúde, pasta que dirige desde dezembro de 2016, na sequência da terceira remodelação na pasta da saúde, sucedendo a João Faria Nunes, que já havia sucedido a Manuel Brito.

Jorge Carvalho mantém a Educação. Integra o governo de Miguel Albuquerque desde a primeira hora.

Outra novidade, e relacionada com o acordo de coligação celebrado entre PSD e CDS-PP, é a entrada de Teófilo Cunha. O até agora presidente da câmara de Santana, deixa a autarquia para tutelar os assuntos do Mar e das Pescas.

Humberto Vasconcelos, também no governo desde a primeira hora, mantém a pasta da Agricultura.

Novidade é também a pasta da Inclusão e Assuntos Sociais que passa a ser dirigida por Augusta Aguiar, atualmente presidente do instituto da Segurança Social. De saída está Rita Andrade, a atual Secretária da Inclusão e Assuntos Sociais que havia substituído Rubina Leal, quando a governante deixou a governação para se candidatar à câmara do Funchal.

Susana Prada fica com o Ambiente, uma área que já tutelava, mas perde outras áreas de intervenção que estavam associadas à Secretaria do Ambientes e Recursos Naturais, como o Mar.

Pedro Fino é também um elemento novo no governo de Miguel Albuquerque. Vai tutelar os Equipamentos e as Infraestruturas. Pedro Fino é atualmente Vogal do Conselho de Administração da empresa Investimentos Habitacionais da Madeira (IHM) e é engenheiro de formação.

O XIII Governo Regional da Madeira, de coligação, toma posse na próxima terça-feira.
O projeto de coligação entre o PSD e o CDS-PP começou a desenhar-se na noite das eleições regionais, em 22 de setembro, depois de o PSD/Madeira, liderado por Miguel Albuquerque, ter perdido pela primeira vez a maioria absoluta que sempre deteve na região, ao eleger 21 dos 47 deputados que compõem a Assembleia da Madeira.
Nas eleições legislativas na Madeira de 22 de setembro, o PSD ganhou sem maioria absoluta razão pela qual teve de se coligar com o CDS.

O PSD venceu as eleições legislativas na Madeira, mas perdeu a maioria absoluta com que sempre governou a região autónoma, obtendo 56.449 votos e a eleição de 21 deputados, razão pela qual teve de se coligar com o CDS.
A abstenção cifrou-se em 44,40% (114.805 eleitores).