Sociedade

Aluno da Escola Bartolomeu Perestrelo infetado com a Covid-19

"O jovem em causa frequentou a escola nos dias 14 e 15/10, após ter tido contacto próximo com um caso positivo de Covid-19", revela o IASAÚDE. O plano de contingência da instituição de ensino foi ativado, avançou a Secretaria Regional de Educação, em comunicado.

Aluno da Escola Bartolomeu Perestrelo infetado com a Covid-19

© DR

Foram identificados 31 contactos do jovem no contexto escolar, 12 dos quais foram contactos próximos.

A Direção da escola foi alertada e os contactos estão a ser informados e testados durante o dia de hoje. 

Assinala-se a determinação da autoridade de saúde para o confinamento de todos os contactos identificados, o que envolve a restrição às aulas de uma turma. 

A investigação epidemiológica está em curso, podendo a autoridade de saúde determinar novas medidas, conforme a avaliação do risco.

Este é o comunicado que pode ser consultado no site da Secretaria Regional de Educação:

"1 - A Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia (SRE) informa que foi ativado o plano de contingência da Escola Básica dos 1.º, 2.º e 3.º Ciclos com Pré-escolar Bartolomeu Perestrelo, na sequência do teste positivo para a COVID-19 de um aluno do estabelecimento de ensino no dia de hoje.

2 - De acordo com os procedimentos previstos no referido plano de contingência e com as determinações da autoridade regional de Saúde, um conjunto de 31 alunos da escola já foram identificados para realização de testes.

3. Com exceção para esse conjunto de alunos, que amanhã não comparecerá na escola, o estabelecimento de ensino funcionará num plano de normalidade, estando assegurada a realização das atividades letivas habituais, em condições de segurança.

4. Por tratar-se de um caso detetado na sequência de teste positivo de um familiar que, contrariando todas a normas e recomendações, não respeitou o isolamento a que se devia ter sujeitado até confirmação do resultado do teste realizado no Aeroporto após regresso da cidade do Porto, a SRE volta a apelar à rigorosa observância das normas e recomendações da autoridade de Saúde e dos procedimentos dos planos de contingência das escolas, sob pena da segurança coletiva ser posta em causa por atos de irresponsabilidade individual."