Sociedade

Bispo do Funchal afasta padre Giselo Andrade do Monte mas mantém-no como sacerdote

D. António Carrilho aceita a continuidade, ao serviço da Diocese do Funchal, do padre que em agosto do ano passado assumiu a paternidade de uma menina.

Bispo do Funchal afasta padre Giselo Andrade do Monte mas mantém-no como sacerdote
O Padre Gieselo Andrade vai continuar a exercer o ministério sacerdotal mas deixa a paróquia do Monte, paróquia onde era pároco no momento em que assumiu a paternidade de uma menina nascida a 18 de agosto do ano passado, no Funchal.

D. António Carrilho tornou pública esta noite esta posição, onde revela que “após diálogos com o próprio sacerdote, ouvidas algumas instâncias da Igreja e percecionando um sentido eclesial comum, por parte de sacerdotes, consagrados e leigos, entendeu-se que constitui maior bem para o padre Giselo Andrade e para a Igreja diocesana, dispensá-lo de pároco do Monte.”

Nesta nota, D. António Carrilho manifesta a vontade que o Padre Giselo continue a exercer o ministério pastoral, através de algumas atividades que lhe estavam já confiadas, na área das comunicações, e outras que eventualmente lhe sejam atribuídas.

O Bispo do Funchal nomeia como administrador paroquial da Paróquia do Monte, "o Reverendo Cónego Vítor dos Reis Franco Gomes, pároco da Sé, em regime de acumulação de funções".

Encerra-se assim a polémica gerada pelo facto do Pároco do Monte, Giselo Andrade, de 37 anos, ter assumido ser pai de uma criança.

D. António Carrilho lembra que “os sacerdotes católicos aceitam e comprometem-se, em plena liberdade, a viver o dom do celibato no seu ministério de serviço ao Povo de Deus, em conformidade mais plena a Cristo Pastor, com frutos abundantes para a Igreja, ainda que com o sacrifício de algumas expressões e alegrias da vida familiar”.

nota da Secretaria Episcopal já se encontra publicada no site oficial da Diocese do Funchal.