Sociedade

Candidaturas ao Programa INICIE + prolongadas até 12 de fevereiro (áudio)

A secretaria regional da Economia anunciou, hoje, a prorrogação do prazo de entrega de candidaturas do Sistema de Apoio às Iniciativas Empresariais das micro e pequenas empresas da Região Autónoma da Madeira.

Rui Barreto, Secretário Regional da Economia | Antena 1 © DR

Uma medida de apoio financiada pela reutilização de ajuda reembolsável concedida no âmbito do Programa Intervir+. 

Este programa de apoio ao tecido empresarial da Região encontrava-se aberto desde 15 de outubro de 2020 e a tutela tinha como data revista para encerrar o aviso-concurso, amanhã, 29 de janeiro. Com a prolongamento do prazo, as empresas têm mais duas semanas para submeterem os seus pedidos de apoio.

O secretário regional da Economia justifica o prolongamento do prazo devido à “enorme procura” pelos apoios mesmo em tempo de pandemia. 

O programa INICIE + conta com uma dotação de 2,5 milhões de euros e tem por objetivo financiar operações de criação, expansão ou modernização de micro e pequenas empresas, que contribuam para uma maior dinamização da atividade económica regional em geral e para as quais é exigido um maior esforço de adaptação às novas condições que hoje caracterizam o ambiente empresarial, e que refletem o impacto da pandemia.

 São suscetíveis de financiamento os projetos que promovam a criação, expansão ou a modernização do ecossistema empresarial, privilegiando iniciativas inovadoras e competitivas, que contribuam para o fortalecimento e revitalização da base económica regional. O apoio a conceder no âmbito deste sistema reveste a forma de incentivo não reembolsável e não poderá exceder €50 000 por projeto, o dobro da primeira fase.

O INICIE + privilegia, atribuindo uma majoração de 15%, os projetos localizados fora do concelho do Funchal, naquilo que é visto como sendo um incentivo ao desenvolvimento económico dos restantes concelhos, algo que é também, para o secretário regional da Economia, de “importância nuclear para este governo, ou seja, promover a descentralização e o desenvolvimento económico mais harmonioso na Região”.