Sociedade

Empresário madeirense impedido de avançar com hotel nos Açores

José Nicolau da Silva foi impedido de construir um hotel de cinco estrelas, com mais de 500 quartos, nos Açores. O projeto foi alvo de críticas por parte de associações ambientalistas.

Áudio: Jorge Kol de Carvalho, o primeiro signatário do documento, explica as razões

O Governo dos Açores indeferiu o pedido de prorrogação do prazo para início da construção de um hotel de cinco estrelas do empresário madeirense José Nicolau da Silva, na praia do degredo, em Vila Franca do Campo.

O projeto tem sido alvo de críticas por parte de várias organizações ambientalistas e alvo de uma petição que tem já mais de 730 assinaturas.

O hotel com 568 camas é a razão do protesto. Os subscritores estão contra a dimensão da unidade e temem pelo desequilíbrio ambiental e da área urbana da praia do degredo.

O projeto do empresário madeirense tinha uma licença para início de obras que terminou em 21 de junho.

O Governo Regional dos Açores considera que não existe enquadramento legal para a prorrogação pretendida.

No entanto, os promotores poderão apresentar um novo requerimento inicial para a concessão de uma nova autorização, o qual será analisado pela Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo.