Sociedade

Governo quer controlo na distribuição de apoios (áudio)

O Governo Regional quer criar uma base de dados para evitar a duplicação de apoios às famílias carenciadas. O Vice-presidente, Pedro Calado, sublinha a necessidade de maior rigor nessa distribuição.

© Cláudia Ornelas | Antena 1 Madeira

O governante falou numa visita ao Banco Alimentar, que encaminha os pedidos de apoio para cerca de 55 instituições, que comprovam as necessidades da população. 

Nos sete primeiros meses do ano passado, o Banco Alimentar do Funchal recebeu cerca de 400 pedidos de ajuda. Este ano foram 50.

Apesar de o pico de pedidos de apoio ter sido sentido em junho e julho do ano passado, a responsável Fátima Aveiro diz que é preciso continuar a ajudar.

Cerca de 34 mil produtos alimentares, num total de 28 toneladas, foram recolhidas através de vales na campanha promovida entre 27 de maio e 6 de junho deste ano nos supermercados.

Mais quatro toneladas face à campanha homóloga do ano passado.

Fátima Aveiro explica que o banco evita o desperdício alimentar. 

Recorde-se que há nove anos que o Banco Alimentar opera na Região. 

No âmbito desta visita ao Banco Alimentar, o Vice-presidente do Governo voltou a afirmar que há trabalho na Madeira mas as empresas não conseguem contratar. 

Apesar de haver 19 mil pessoas inscritas no Instituto de Emprego, há empresários na Madeira com dificuldade em conseguir mão de obra. Uma situação comum a todos os setores, diz Pedro Calado.