Sociedade

Greve dos técnicos de diagnóstico regista adesão de 30% na Madeira

A greve dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica na Madeira registou hoje, no turno da manhã, uma adesão na ordem dos 30% nos hospitais e centros de saúde, informou o Serviço Regional de Saúde (SESARAM).

Greve dos técnicos de diagnóstico regista adesão de 30% na Madeira

© DR

A autoridade regional indica que, do total de 142 técnicos que estavam de serviço no turno da manhã, 43 aderiram à paralisação convocada por quatro sindicatos e que decorre em todo o território nacional até às 24:00 horas de hoje.

O SESARAM refere que dos 105 técnicos previstos no turno da manhã nos cuidados de saúde hospitalar, 31 aderiram à greve (30%), ao passo que nos cuidados de saúde primários (centros de saúde) estavam de serviço 37 funcionários, sendo que 12 fizeram greve (32%).

Os dados referentes ao período da tarde ainda não estão disponíveis e, por outro lado, as estruturas sindicais não revelaram, até ao momento, nenhum indicador sobre a adesão à greve na Região Autónoma da Madeira.

Os técnicos de diagnóstico e terapêutica reclamam uma revisão da carreira e questões ligadas à tabela salarial e à progressão na carreira.

Representantes dos trabalhadores estiveram reunidos este mês com o Ministério da Saúde, mas não houve apresentação de qualquer proposta concreta para responder às reivindicações dos profissionais, como afirmou à agência Lusa o presidente do Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas do Diagnóstico e Terapêutica, Luís Dupont.

Os profissionais estão também, desde o dia 1 de julho, a cumprir greve ao trabalho prestado além do período normal de trabalho.

Os quatro sindicatos que convocam a paralisação nacional de hoje exigem uma tabela salarial que respeite as suas habilitações profissionais e ainda outras matérias que respeitam às transições para nova carreira e ao sistema de avaliação, bem como à contagem do tempo de serviço.

LUSA