Sociedade

Nova exposição dos estudantes de design da UMa

No próximo dia 27 de janeiro será inaugurada uma exposição de trabalhos desenvolvidos por estudantes do curso de design da Universidade da Madeira (UMa), entre 2017- 2021, sobre o tema do jogo enquanto elemento lúdico e identitário na cultura contemporânea.

Nova exposição dos estudantes de design da UMa

© DR

A exposição intitula-se “Lá-Lá mimesis” e será inaugurada às 17 horas, no Armazém do Mercado, e às 19 horas, no Campus Universitário da Penteada (piso -1). É de entrada livre e vai estar patente ao público até ao dia 28 de fevereiro, em ambos os espaços.

“Lá-Lá mímesis” reúne trabalhos de três projetos: Madeira Toys, Second face e Wood Dolls e mostra obras de representação e de expressão do eu desta comunidade criativa, que nos questionam sobre a importância da identidade e sobre os desafios de autenticidade que as novas gerações de designers enfrentam num mundo global.

No âmbito do projeto Madeira Toys os estudantes foram desafiados a desenhar e desenvolver o protótipo de um brinquedo local. Todos os produtos procuraram contribuir para a sensibilização do público sobre a necessidade de preservação do património natural e cultural da Ilha da Madeira.

Por sua vez, o projeto Second face teve como objetivo a criação de um produto para a identidade e proteção humana e foi desenvolvido em diferentes edições, contextos pedagógicos e operativos.

E, finalmente, o projeto Wooden Dolls baseou-se na criação de uma família de figuras de madeira torneada, capaz de representar personagens do imaginário local e global.

A iniciativa é promovida pelo Departamento de Arte e Design da Faculdade de Artes e Humanidades da UMa em parceria com a ARDITI - Agência Regional para o Desenvolvimento da Investigação, Tecnologia e Inovação, o Museu do Brinquedo, a Restock Gallery e a ESAD - Escola Superior de Arte e Design.

Recorde-se que o projeto foi lançado em março 2017. Na sua primeira edição, intitulada “Lá-LáMadeira Toys”, os estudantes do terceiro ano do curso de Design abraçaram o desafio de conceber um conjunto de brinquedos com carácter local, uns com recurso a tecnologias modernas e eficientes e outros através de processos e componentes tracionais como madeira e papel.