Sociedade

Reino Unido confiante na vacina contra variante

O Governo do Reino Unido afirmou hoje estar confiante na eficácia das vacinas anticovid-19 contra a variante indiana, numa altura em que o aumento desta nova estirpe é uma preocupação antes do início de uma nova fase de desconfinamento.

Reino Unido confiante na vacina contra variante

© DR

No território britânico, o número de casos atribuídos à variante indiana mais do que duplicou numa semana, subindo para 1.313 nesta semana, de acordo com autoridades de saúde do Reino Unido, indicando que essas situações de infeção estão concentradas principalmente no noroeste do país e em Londres.

“Se as pessoas foram vacinadas duas vezes [...] temos uma certeza crescente, com base nos primeiros dados laboratoriais [...], de que as vacinas são eficazes contra a variante indiana”, disse o ministro da Saúde, Matt Hancock, em declarações à BBC.

Segundo as autoridades de saúde, para impedir a propagação da variante B1.617.2 da covid-19, que se pode se tornar "dominante", o intervalo entre as duas doses da vacina (até três meses) é reduzido para oito semanas para pessoas com mais de 50 anos e pessoas mais vulneráveis, enquanto a testagem foi reforçada nas áreas afetadas.

Sublinhando que a variante era "claramente mais contagiosa", Matt Hancock disse que poderia "realmente se espalhar como um incêndio entre os grupos não vacinados", em declarações à Sky News.

"É por isso que temos de vacinar tantas pessoas quanto possível, especialmente aquelas com maior probabilidade de serem hospitalizadas", declarou o ministro da Saúde do Reino Unido.

Desde o lançamento da campanha de vacinação no início de dezembro, mais de 36 milhões de pessoas receberam a primeira dose e quase 20 milhões receberam já a segunda dose da vacina anticovid-19.

Face ao aumento de casos da variante indiana do SARS-CoV-2, que levanta preocupações antes do início de uma nova etapa no plano de desconfinamento da Inglaterra, que está prevista começar na segunda-feira, o Governo britânico explicou-se hoje quanto à demora na tomada de medidas para endurecer as restrições aos viajantes que chegam da Índia.

Em 19 de abril, o executivo decidiu colocar a Índia na lista vermelha de países em que os viajantes estão proibidos de entrar no Reino Unido, exceto residentes que são obrigados a fazer uma quarentena de 10 dias num hotel.

O anúncio foi feito no dia em que o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, cancelou a visita oficial à Índia, a sua primeira grande viagem ao exterior, devido ao agravamento da pandemia no país.

C/Lusa