Estoril-Praia garante empréstimo do lateral Abner

| 1.ª Liga

|

A equipa de futebol do Estoril-Praia anunciou hoje a chegada, por empréstimo, do lateral-esquerdo brasileiro Abner, proveniente da formação B do Real Madrid, que representava já desde a época 2014/15.

Em declarações prestadas ao site oficial do 'clube da Linha', o jogador, de 21 anos, explicou que o facto de conhecer alguns elementos do plantel comandado pelo treinador Pedro Emanuel e as boas informações que recolheu sobre o 10.º classificado da última edição da I Liga de futebol portuguesa contribuíram para a sua decisão de rumar a Portugal.

"Estou muito feliz por estar no Estoril-Praia. Já tinha ouvido sobre o clube porque já conhecia Matheus Índio, Tocantins e Lucas Evangelista das seleções nacionais no Brasil. Disseram-me que é um clube muito familiar e com uma estrutura que dá o melhor acompanhamento possível", frisou.

Para o jogador brasileiro, o futebol "dinâmico e muito tático" da liga portuguesa, bem como a sua competitividade, pesaram igualmente na transferência, descrevendo-se como um "jogador guerreiro" e com "vontade de ganhar" e ajudar a equipa.

Abner, que chegou para suprir o lugar deixado vago por Ailton - que rumou neste defeso ao Estugarda - assumiu ainda ter como referência o compatriota Marcelo, do Real Madrid, e valorizou o seu pendor ofensivo. Porém, realçou a importância da passagem pelos 'merengues' na melhoria das suas competências defensivas.

"Acho que os jogadores brasileiros da minha posição tendem a ser mais ofensivos e eu também, mas no futebol europeu o aspeto defensivo é muito valorizado e trabalhei esse lado no Real", clarificou.

O lateral brasileiro é já o nono reforço dos estorilistas para a nova época, juntando-se, assim, ao lote constituído por Aylton Boa Morte, Jorman Aguilar, Lucas Evangelista, João Gurgel, Wesley, Pedro Monteiro, Fernando Fonseca e Halliche.

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.