FC Porto procura em Tondela não descolar dos primeiros

| 1.ª Liga

A equipa do FC Porto corre para garantir um lugar entre os primeiros do campeonato
|

O FC Porto procura este domingo o segundo triunfo em outros tantos jogos na I Liga portuguesa de futebol, de forma a igualar o Sporting e o Rio Ave no comando provisório do campeonato, à segunda jornada.

Depois de golear o Estoril-Praia por 4-0, no Dragão, a equipa de Sérgio Conceição viaja até Tondela em busca de novo êxito, perante adversário que vem de um empate 1-1 em casa do Feirense.

Depois de perder na estreia, por 3-1, na Luz, frente ao Benfica, o Sporting de Braga recebe o Portimonense, que regressou ao convívio dos grandes com um triunfo por 2-1 sobre o Boavista.

Paços de Ferreira, derrotado por 1-0 no terreno do Marítimo, e Desportivo das Aves, que perdeu ante o seu público frente ao Sporting (0-2), procuram os primeiros pontos na prova.

O campeão Benfica joga apenas segunda-feira, visitando o Desportivo de Chaves, no encerramento da ronda, depois de o Estoril-Praia receber o Vitória de Guimarães.

Programa e resultados da segunda jornada da Liga:

- Sexta-feira, 11 ago:

Sporting - Vitória de Setúbal, 1-0.

- Sábado, 12 ago:

Moreirense - Feirense, 0-0.

Belenenses - Marítimo, 1-0.

Boavista - Rio Ave, 1-2.

- Domingo, 13 ago:

Paços de Ferreira - Desportivo das Aves, 16h00

Sporting de Braga - Portimonense, 18h00

Tondela - FC Porto, 20h15

- Segunda-feira, 14 ago:

Estoril-Praia - Vitória de Guimarães, 19h00

Desportivo de Chaves - Benfica, 21h00

A informação mais vista

+ Em Foco

A causa do incêndio do Pedrogão Grande terá sido uma linha elétrica de média tensão. Esta é uma das principais conclusões do relatório que o professor Xavier Viegas entregou ao Governo.

Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

    Mário Centeno também deixou no ar a ideia de que, na discussão da especialidade do OE2018, seja posto um ponto final nos cortes do subsídio de desemprego.

    Os governos espanhol e catalão além de estarem de costas voltadas entrincheiraram-se em narrativas de auto-justificação absolutamente incompatíveis entre si.