Jogo intenso termina com triunfo do Benfica sobre o SC Braga

| 1.ª Liga

Rúben Dias e Fábio Martins lutam pelo esférico
|

O Benfica deslocou-se este sábado à Pedreira e venceu o Sporting de Braga por 3-1. Numa das melhores primeira partes da época, a equipa de Rui Vitória inaugurou o marcador por Salvio e chegou ao segundo golo por intermédio de Jonas. Paulinho reduziu para a equipa arsenalista e colocou o Benfica em apuros mas Raúl Jiménez matou o jogo com um tento nos descontos.

A partida começou com um Sporting de Braga a tentar fechar os caminhos da baliza para o Benfica tentando o ataque em passes em profundidade. O primeiro remate surge através de Danilo, do Sporting de Braga, que fura o meio-campo adversário e remata forte para defesa à figura de Varela.

Seguiu-se a resposta do Benfica, que começou a pressionar a saída de bola bracarense muito perto da área arsenalista. Salvio deu o primeiro sinal de perigo com um remate à figura de Matheus logo depois, uma recuperação de Jonas deu início à jogada do golo.


Danilo perdeu o esférico tocado pelo avançado brasileiro do Benfica, Cervi recebeu a bola, galgou metros rumo à área do Braga e num passe curto encontrou Salvio, que após uma diagonal bateu Matheus pela primeira vez na noite.

Logo a seguir, Fábio Martins tentou o empate num remate que passou muito por cima da baliza de Varela, com Jonas e Grimaldo a colocarem Matheus à prova com duas defesas apertadas. Após a primeira hora de jogo, Krovinovic também tentou o golo com um remate colocado, que passou perto do poste esquerdo da baliza bracarense.

Destaque ainda para uma jogada de perigo do Sporting de Braga, com Ricardo Horta a falhar a emenda a um cruzamento mesmo à frente da baliza de Varela.
Segunda parte de emoções
Os segundos 45 minutos abriram com o Benfica perto do 2-0. Num livre direto, Jardel cabeceou ao poste da baliza do Sporting de Braga e no seguimento da jogada Jonas fica a pedir grande penalidade. O jogador encarnado foi empurrado dentro da área mas encontrava-se em fora-de-jogo na altura do cruzamento.

Perto dos 50 minutos, Grimaldo foi isolado por Jonas mas o jogador espanhol rematou fraco e à figura de Matheus. Dois minutos depois, Paulinho tentou o remate em arco, mas o esférico saiu muito por cima da baliza defendida por Varela.

Dez minutos mais tarde, o SC Braga voltou à carga, com remate de Ricardo Horta e cabeceamento de Rosic. Varela respondeu com duas boas defesas. E contra a corrente atacante dos arsenalistas, o Benfica chega ao segundo golo.

Cruzamento de André Almeida, a partir do flanco direito, com conta, peso e medida e Jonas cabeceou para o fundo da baliza de Matheus, marcando o 21.º golo na Liga Portuguesa.

Logo depois, deu-se a resposta do Sporting de Braga, com o golo de Paulinho. Cruzamento da direita de Ricardo Horta e o avançado português cabeceou para o fundo da baliza do Benfica. Varela ficou mal na fotografia com uma saída fora de tempo, deixando os postes à mercê do adversário.

Seguiram-se minutos de grandes dificuldades para a equipa de Rui Vitória, com o Sporting de Braga a procurar o empate. Rosic, Wilson Eduardo e Danilo tentaram a sua sorte mas acabaria por ser o Benfica a voltar a marcar.

Depois de falhar um golo isolado, Raúl Jiménez correspondeu da melhor maneira a um cruzamento de Cervi e rematou de primeira para o 3-1 final.

Com este resultado, o Benfica foge ao Sporting de Braga na classificação da Liga Portuguesa, igualando o Sporting em pontos, estando ainda a dois do líder FC Porto, à condição.

Tópicos:

Benfica, Pedreira, SC Braga,

Pesquise por: Benfica, Pedreira, SC Braga,

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.