Francês Kevin Mayer é o novo recordista mundial do decatlo

| Atletismo

Legenda da Imagem
|

O francês Kévin Mayer redimiu-se hoje de uma época até aqui para esquecer e bateu o recorde do mundo do decatlo, totalizando 9.126 pontos no Décastar, 'meeting' internacional da especialidade, que se realizou em Talence, França.

À frustração por ter abandonado o decatlo do Europeu de Berlim, com três 'nulos' no comprimento, segue-se a consagração de destronar a pontuação do norte-americano Ashton Eaton em 81 pontos (o anterior recorde era de 9.045).

Vice-campeão olímpico e campeão mundial em título, chega assim ao topo da difícil especialidade, que integra em pontos o somatório de 10 provas individuais, entre corridas, saltos e lançamentos, disputadas em dois dias.

A competir em ‘casa’, Meyer deu logo o mote para um grande resultado, com 10,55 nos 100 metros. O comprimento não o atraiçoou, desta feita, saltando magníficos 7,80 metros, para depois atirar o peso a 16,00 metros.

Na altura transpôs a 2,05 metros e correu os 400 metros em 48,82 segundos, para fechar o primeiro dia com 4.563 pontos.

No segundo dia acentuou o 'ataque' ao recorde, com 13,75 nos 110 metros barreiras e 50,54 no lançamento do disco. Outro resultado magnífico foi o de 5,45 no salto com vara, juntando depois 71,90 no dardo e 4.36 minutos nos 1.500 metros.

O anterior recorde datava dos Mundiais de 2015, em Pequim, competição ganha pelo norte-americano Eaton, já retirado, e em que Kevin Meyer não participou.

Vice-campeão europeu em 2014, só começou a estar em grande destaque em 2016, com a medalha de prata olímpica. Já sem a 'sombra' de Eaton, seria campeão mundial no ano seguinte, para depois ter o seu pior momento no recente Europeu.

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.