Medina diz que acusações sobre compra de imóvel são "totalmente falsas"

| Autárquicas 2017

Medina diz que acusacões são "falsas"
|

Fernando Medina diz que as acusações de que está a ser alvo são "totalmente falsas". O Ministério Público confirmou hoje que está a investigar a compra de um imóvel por parte do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, na sequência de uma denúncia anónima recebida na Procuradoria-Geral da República.

Em declarações à RTP, Fernando Medina começou por afirmar que está indignado "com o que está a acontecer nesta campanha eleitoral". O candidato à Câmara Municipal de Lisboa diz que as acusações de que está a ser alvo, "feitas ao Ministério Público, foram também feitas chegar pela mão de candidaturas adversárias a jornais que fizeram circular factos que são falsos".

O Ministério Público está a investigar a compra de um imóvel por parte do presidente da Câmara Municipal de Lisboa na sequência de uma denúncia anónima.

A PGR confirmou hoje que "a matéria relativa à compra do imóvel é referida numa denúncia anónima recebida na Procuradoria-Geral da República em finais de agosto" e que a participação foi remetida ao Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa "onde se encontra em investigação".


A notícia da compra do imóvel foi avançada pelo Observador, que revelou que Fernando Medina não declarou ao Tribunal Constitucional ser proprietário de um duplex no centro de Lisboa que adquiriu a 27 de setembro de 2016 por 645 mil euros, tendo apenas informado do pagamento de um sinal de compra de 220 mil euros.

A análise ao caso pela Justiça, acrescentou a PGR, já estava a decorrer antes das notícias divulgadas desde segunda-feira e que questionam o valor do negócio.

Segundo a revista Sábado, a casa pertencia e foi vendida por um elemento da família Teixeira Duarte, que controla a construtora com o mesmo nome, à qual foram adjudicadas pela autarquia obras como a recuperação do Miradouro de São Pedro de Alcântara.

Em sua defesa, Fernando Medina afirmou que foram postos a circular "factos que são falsos. Factos que ofendem a minha honra, a minha honerabilidade e que pretendem atingir o meu bom nome".

Medina acrescenta que "essas alegações são completamente falsas". E deixa uma mensagem às candidaturas adversárias, não especificando: "podem tentar, mas não vão conseguir porque nós não vamos desistir desta campanha e de fazer desta campanha aquilo que ela deve ser".

Para o socialista, esta denúncia foi feita por quem "verdadeiramente não tem projetos para a cidade".

Diz ainda o cabeça de lista do PS que "todos os portugueses percebem que denúncias anónimas que surgem a três semanas de um ato eleitoral só têm um objetivo, que é atingir eleitoralmente uma pessoa".

Por isso, admite avançar judicialmente.



(C/ Lusa)

Tópicos:

, Fernando Medina,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    A deriva independentista do nacionalismo catalão está a revelar-se mais grave do que Madrid previa inicialmente. Temos posições que não permitem qualquer margem para diálogo e que conduziram o processo a um impasse.

    Um ensaio do LNEC e do Instituto Superior Técnico, no âmbito do KnowRisk, evidencia a importância da tomada de medidas preventivas. Veja os vídeos e compare os dois casos.

    A Alemanha aproxima-se da data do escrutínio de 24 de Setembro com uma economia próspera: muita exportação, muita construção, receitas fiscais abundantes, orçamentos públicos excedentários. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.