Vitória indignado com "achar que se ganha de qualquer forma e que vale tudo"

| Benfica

Legenda da Imagem
|

O treinador do Benfica falou depois das polémicas palavras de Sérgio Conceição, que o comparou a um "boneco".

O treinador do Benfica entende que há limites e que nunca passou esses mesmos limites. Rui Vitória quer também colocar um ponto final nas sucessivas trocas de palavras menos simpáticas. 


"Este episódio não começou aqui, isso que fique claro, mas da minha parte termina aqui hoje. Tenho visto nos últimos dias pedidos para que haja respeito entre os treinadores... Mas eu faltei ao respeito a alguém? Não aceito. Digo isto para quem escreve, para quem mete tudo no mesmo patamar de forma leviana. Não faltei ao respeito a ninguém e não aceito que o digam de forma leviana sobre a minha pessoa. Se há coisa que não tenho feito é ultrapassar os limites e, como tal, não aceito que ponham tudo no mesmo saco", sublinhou.  

Relativamente às palavras de Sérgio Conceição, Vitória afirmou esta sexta-feira que o treinador deve "assumir as suas responsabilidades". Vitória recorda o seu percurso profissional.

"Se há algo que prezo é ser um treinador de um grande, mas sou uma pessoa perfeitamente normal, que fez um percurso subindo a pulso, agarrando oportunidades e deixando amigos em todos os clubes. Cheguei aqui desta maneira e é assim que vou continuar a ser. Não altero os meus limites nem a minha postura. Falo quando quero e como quero. Sei o clube que represento, sei a importância deste cargo e sei as minhas responsabilidades. Não aceito que digam de forma leviana que "haja respeito entre treinadores". E acrecentou: "Da minha parte houve sempre".

Com um nítido tom de revolta pela polémica troca de palavras, Vitória separa as "divergências de opinião" e "achar que se ganha de qualquer forma e que vale tudo. 

"Falo quando quero, como quero. Sei o clube que represento e a responsabilidade que tenho. Não aceito de forma leviana que faltei ao respeito. Uma coisa é divergências de opinião sobre jogos, outra coisa é achar que vale tudo". 

E na sequência destes desabafos, Rui Vitória considerou que os ataques visam o clube.
 
"Da minha parte não vale. Aqui no Benfica já ganhei, já perdi, já subi e desci o tom, mas ninguém pode dizer que ultrapassei limites. Só acrescento isto: há duas semanas avisei que isto não é só para o treinador ou para o presidente, o alvo é o Benfica. Aqui houve um caso concreto de um treinador adversário para comigo, mas o alvo é o Benfica. Os benfiquistas já entenderam isto".

Palavras de revolta do treinador do Benfica que antecedem um fim de semana desportivo algo complicado para os 'encarnados' com uma deslocação a Braga.

O técnico fazia assim a antevisão ao encontro diante dos bracarenses referente à jornada 18 da I Liga, mas pouco se falou do desafio de sábado, com o Rui Vitória a reforçar a ideia de que não vai alimentar polémicas com o treinador 'rival'.

O Benfica, terceiro classificado, com 40 pontos, defronta o Sporting Clube de Braga, quarto, com 37, no Estádio Municipal de Braga, pelas 20:30.



A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

      Em abril, uma cimeira histórica entre Coreias reaproximou dois países de costas voltadas há mais de 60 anos. O que esperar do futuro?

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.