“Algarvia” começa a empinar e faz seleção de valores

| Ciclismo

O pelotão já percorre as estradas do sul do país
|

A Volta ao Algarve em bicicleta cumpre esta quarta-feira a segunda etapa entre Sagres e o Alto da Fóia, na distância de 187,9 quilómetros, com a montanha em destaque.

Cinco contagens de montanha, a última das quais de primeira categoria no Alto da Fóia marcam a “tirada”.

A subida para a meta tem uma extensão de 15,2 quilómetros e uma inclinação média de 5,2 por cento.

Antes da subida para a Fóia, o pelotão vai encontrar outras quatro contagens de montanha: Monte Ruivo (4.ª cat. Km 50,8), Marmelete (3.ª cat. Km 71,2), Alferce (3.ª cat. Km 107) e Sapeira (3.ª cat. Km 123,4). Haverá ainda duas metas volantes, em Aljezur (Km 63,4) e em Portimão (Km 163,4).

À partida para a etapa será entregue a Philippe Gilbert (Quick-Step Floors) o Prémio Prestígio 2018.

O jornalista da Antena 1 Marco Fernandes acompanha a prova e prevê que o camisola amarela Dylan Groenewegen, da Team Lotto, não terá vida fácil para segurar a liderança.



O melhor português após a primeira etapa no 10º lugar da geral individual é Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-ULI).

A classificação da montanha que hoje surge em força é liderada pelo português João Rodrigues da W52-FC Porto.

A informação mais vista

+ Em Foco

Entrevista exclusiva de Rui Rio à editora de política da RTP Luísa Bastos.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Foram sinalizados casos de mutilação genital numa escola da Baixa da Banheira. Uma associação trabalha com turmas. Ainda há rapazes que defendem a "submissão" como "saudável".

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.