Europa lança satélites para monitorizar efeito de estufa e fotossíntese de plantas

| Ciências

A Agência Espacial Europeia (ESA) anunciou hoje que vai lançar, em 2022 e 2023, satélites para monitorizar o efeito de estufa, as florestas e a fotossíntese das plantas.

O anúncio foi feito em Milão, Itália, na abertura do simpósio sobre observação da Terra "Living Planet".

Em 2022 serão colocados em órbita os satélites "EarthCare", para medir o efeito de estufa causado pelos gases poluentes e na origem do aquecimento do planeta, e "Biomass", para monitorizar as florestas.

No ano seguinte será lançado o satélite "Flex" para quantificar e avaliar a fotossíntese das plantas.

Mais próximo, em 2020, será lançado o último satélite do programa europeu de observação da Terra Copernicus, o "Sentinel-6", que irá medir a topografia da superfície dos oceanos.

Em setembro, a ESA prevê colocar em órbita pequenos satélites em forma de cubo ("CubeSat") com processadores de inteligência artificial.

O simpósio "Living Planet", que decorre até sexta-feira em Milão, é uma iniciativa trianual que se debruça sobre o estado da Terra com base nos dados de observação por satélite.

Na edição deste ano são esperados mais de quatro mil participantes, segundo a agência noticiosa espanhola Efe.

Tópicos:

Copernicus, Espacial,

A informação mais vista

+ Em Foco

É até hoje a mais icónica das aventuras da exploração espacial. Há 50 anos, o Homem chegava à Lua à boleia da NASA. Percorrermos aqui todos os detalhes da missão, dia a dia.

    O programa Artemis, da NASA, tem como objetivo regressar ao satélite natural da Terra e, simultaneamente, preparar a viagem a Marte.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.