Europa. Melhoria da qualidade do ar na pandemia pode ter poupado centenas de vidas

por RTP
Em análise no estudo da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres estiveram 47 cidades. Mário Cruz - EPA

Na primeira vaga da pandemia de covid-19, milhões de pessoas foram impedidas de sair à rua numa tentativa de conter a propagação do vírus. Passaram a circular menos carros e camiões nas estradas e, em consequência, a poluição diminuiu. Um estudo britânico sugere agora que, só na Europa, mais de 800 vidas podem ter sido salvas graças à melhoria na qualidade do ar durante a primeira fase de confinamentos.

Em análise estiveram 47 cidades. Destas, Paris, Londres, Barcelona e Milão estavam entre as seis com o maior número de mortes evitadas.

Segundo o estudo da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres (LSHTM), o cancelamento de eventos e o encerramento de espaços laborais e escolas na generalidade das cidades europeias reduziu a poluição atmosférica, pois originou menos trânsito e menos circulação de pessoas.

As cidades espanholas, francesas e italianas foram as que experienciaram uma maior redução nos níveis de dióxido de azoto (NO2) durante a primeira fase de confinamentos, registando quedas de 50 a 60 por cento.

O estudo britânico refere que, enquanto o NO2 diminuiu acentuadamente, outros elementos poluentes e inaláveis, como as partículas pequenas PM2.5 e PM10, viram reduções mais pequenas. Estas partículas são produzidas por elementos naturais, como incêndios florestais que, durante a pandemia, continuaram a ocorrer.

“Os confinamentos durante a primeira vaga da pandemia de covid-19 tiverem enormes custos sociais e sanitários. No entanto, ofereceram condições únicas para investigar os efeitos de possíveis políticas mais rígidas para reduzir os níveis de poluição em áreas urbanas”, explicou ao Guardian Antonio Gasparrini, um dos autores do estudo.

Segundo o especialista, “esta ‘experiência natural’ deu-nos um vislumbre de como a qualidade do ar pode ser melhorada através de medidas drásticas de saúde pública que seriam difíceis de implementar em tempos normais”.

“Esta informação pode ser importante para conseguirmos criar políticas eficazes no combate à poluição nas nossas cidades”, acrescentou.

Para alcançar estes resultados, o estudo publicado na revista Nature’s Scientific Reports comparou as políticas governamentais de combate à pandemia nas 47 cidades europeias em análise, passando, depois, a comparar os níveis de poluição e o número de mortes nestes locais em relação ao período pré-pandemia.
Tópicos
pub