Álbum perdido de John Coltrane foi encontrado e vai ser editado ao fim de 55 anos

| Cultura

Um álbum perdido do saxofonista norte-americano John Coltrane foi encontrado 55 anos depois da sua gravação e será lançado no próximo dia 29, com o título "Both Directions At Once: The Lost Album", anunciou a discográfica Impulse!.

Gravado numa só sessão, no dia 06 de março de 1963, nos estúdios de Rudy Van Gelder, em Nova Jérsia, Estados Unidos, "Both Directions At Once" contou com a participação do contrabaixista Jimmy Garrison, do baterista Elvin Jones e do pianista McCoy Tyner, que na altura compunham o quarteto de John Coltrane.

A `master`, com os sete temas gravados do álbum, foi dada como perdida, depois de a editora Impulse!, no início dos anos 1970, ter destruído material armazenado em Nova Iorque, para aumentar o espaço disponível.

A gravação, porém, foi agora encontrada, porque John Coltrane, na altura da gravação, deu a `fita` de referência à mulher, Naima, que a manteve na sua posse, mesmo depois do divórcio de ambos, em 1966.

O saxofonista Sonny Rollins, que gravou o álbum histórico "Tenor Madness" com John Coltrane, disse ao jornal britânico The Guardian que esta descoberta, pela sua importância, era como "encontrar uma nova sala numa grande pirâmide".

Entre as sete faixas estão duas composições originais inéditas, "Untitled Original 11383" e "Untitled Original 11386", ambas tocadas com saxofone soprano.

Outra composição descoberta, "One Up, One Down", foi ouvida apenas num espetáculo ao vivo no clube de jazz Birdland, e nunca nesta versão de estúdio.

As sessões apanham Coltrane num "momento importante" do seu percurso, durante os chamados "anos Impulse!", entre os álbuns "Ballads" (1962) e "A Love Supreme" (1964), gravados para esta editora, a poucos meses das atuações que, entre outubro e novembro de 1963, deram origem ao histórico "Live at Birdland".

A data de gravação de "Both Directions At Once" revela-se agora, igualmente, de referência: exatamento na véspera do encontro de John Coltrane com o cantor Johnny Hartman, para o álbum que ambos fizeram em parceria, em 07 de março de 1963.

Coltrane estava então a dois anos de "Ascension", o disco em que a formação clássica de quarteto daria lugar a uma `big band`, com músicos como Freddie Hubbard, Dewey Johnson, Pharoah Sanders e Archie Shepp a juntarem-se a McCoy Tyner, Garrison e Elvin Jones, e já com a estétca do `free jazz` a manifestar-se na sua expressão.

"Both Directions At Once" congrega temas como "Slow Blues", "Impressions" e "Nature Boy", de Nat King Cole, além dos inéditos "11383" e "11386", com o quarteto num estilo mais `tradicional`, revisitando um tema melódico entre solos.

"Este é o quarteto de Coltrane que se começa a mover para um blues `estranho`, com novas músicas e ajustando impressões, e isso é muito importante", disse o crítico de jazz Ben Ratliff, citado pelo jornal britânico.

O saxofonista Wayne Shorter, da geração que sucedeu a Coltrane, influenciada pelo criador de "Blue Train", entrevistado para as notas que acompanham o álbum, disse que o título "Both Directions at Once" tem origem na explicação que o saxofonista dava do seu próprio `método`: "Começar uma frase [musical] no meio, e depois avançar para o começo e para o fim".

O saxofonista britânico Evan Parker disse ao The Guardian: "Esta edição é muito bem-vinda. [Reúne] o `quarteto clássico` com que Coltrane fez o seu melhor trabalho".

Ben Ratliff acrescentou que, acima de tudo, "Both Directions at Once" é um estudo sobre "quão seriamente forte" era este quarteto de Coltrane, "e quão poderosa a sua intenção" se tornou.

John Coltrane morreu em 1967, aos 40 anos, depois da edição de "Expression", gravado com Alice Coltrane, Pharoah Sanders, Jimmy Garrison e Rashied Ali.

Em pouco mais de uma década, Coltrane gravou dezenas de álbuns como "Blue Train", "Giant Steps", "My Favorite Things", que também definiram as vias do jazz, tendo trabalhado com músicos como Thelonious Monk e Miles Davis e gravado para editoras como Prestige, Blue Note, Atlantic e Impulse!.

Entre os álbuns publicados após a sua morte contam-se "Cosmic Music", Stellar Regions" e Interstellar Space".

A pré-audição do original "11383" encontra-se já disponível na página da "renascida" Impulse! Records, em www.impulse-label.com.

Tópicos:

Alice Coltrane Pharoah Sanders Jimmy Garrison Rashied, Freddie Hubbard Dewey Johnson Pharoah Sanders, McCoy Tyner Garrison, Prestige Blue Note Atlantic, Thelonious Monk,

A informação mais vista

+ Em Foco

No mês do Mundial de futebol a RTP faz uma radiografia da vida na Rússia.

    Entrevista a António Mateus para o programa "Olhar o Mundo". Veja aqui.

    Um olhar aos altos e baixos da relação entre o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un.

      A RTP esteve em 2017 no navio Aquarius, agora acolhido por Espanha com mais de 600 migrantes a bordo. Veja ou reveja a reportagem.