Falência foi destino para 60% dos bares e discotecas

por RTP

Os promotores de espetáculos e festivais escreveram numa carta ao primeiro-ministro que a cultura não aguenta muito mais tempo as reuniões "esquizofrénicas" de quinta-feira.

Exigem a abertura com lotação máxima dos espaços, mediante a apresentação, por parte do público, do certificado digital ou teste negativo.

Os bares e discotecas pedem a abertura total ao ar livre e dizem que 60 por cento dos negócios já foram à falência.
pub