FIL Guadalajara reúne no México mais de 800 autores de 33 países entre os quais Portugal

por Lusa

A 33.ª edição da Feira Internacional do Livro de Guadalajara (FIL) contará com mais de 800 escritores, de 33 países, entre as quais o prémio Nobel peruano Mário Vargas Llosa e o mestre da novela gráfica Frank Miller.

Na apresentação do programa deste ano, realizada hoje na cidade mexicana, o presidente do evento, Raúl Padilla, destacou a presença da Índia como país convidado, num evento que receberá mais de 20.000 profissionais do livro e que decorre de 30 de novembro a 08 de dezembro na capital do país.

"Esta FIL Guadalajara 2019 terá a enorme presença da Índia como convidado de honra e a presença de 2.350 editores, de 47 países, 800 escritores de 37 países e representantes de 13 idiomas diferentes, que se reunirão com leitores em 27 palcos", disse Padilla.

Entre as muitas figuras que vão passar pela maior iniciativa do mercado livreiro da América Latina -- e o segundo a nível mundial, depois da Feira de Frankfurt --, o presidente da FIL destacou a presença de Vargas Llosa, que fará um discurso por ocasião do 50.º aniversário da publicação do seu romance de referência, "Conversas na Catedral", e apresentará seu novo livro, "Tiempos Recios" ("Tempos Difíceis", em tradução livre).

O autor terá em breve publicado em Portugal "O Apelo da Tribo", livro de ensaios biográficos, "ao mesmo tempo, uma história intelectual e política", através de autores que o marcaram, como Orwell, Camus ou Koestler, Ortega y Gasset, Hayek, Popper, Raymond Aron, Isaiah Berlin ou Jean-François Revel.

Nos antípodas estilísticos e temáticos do autor peruano, estará o escritor de banda desenhada Frank Miller, famoso pelos lendários romances gráficos "300", "Sin City" ou "O Cavaleiro das Trevas Retorna", com quem a FIL Guadalajara também conta.

Miller fará uma palestra sobre as atividades do espaço da banda desenhada, falando sobre Batman, e apresentará o seu novo livro, "Cursed".

Além desses gigantes da narração, haverá outros não menos importantes, como o romancista e dramaturgo italiano Alessandro Baricco ou a escritora e jornalista mexicana Elena Poniatowska.

Além destes, estará também presente o vencedor deste ano do Prémio FIL de Literatura em Línguas Latinas, o poeta e ensaísta mexicano David Huerta.

A argentina Luisa Valenzuela, considerada pelo escritor mexicano Carlos Fuentes uma das herdeiras da literatura latino-americana, receberá a medalha Carlos Fuentes, um presente que a feira faz a "ilustres visitantes".

Este ano, a homenagem ao Mérito Editorial será dedicada postumamente ao editor espanhol Claudio López Lamadrid, falecido aos 59 anos, em 11 de janeiro passado.

O poeta e ensaísta norte-americano de origem indiana Vijay Seshadri, vencedor do Prémio Pulitzer, ficará encarregado de abrir os dias do Salão de Poesia.

Sobre o prémio Sor Juana Inés de la Cruz, o vencedor será revelado nos próximos dias.

Assim como em 2018 foi Portugal o país convidado da FIL e, em 2017, Espanha (Madrid), este ano cabe a vez à Índia.

Este país oferecerá uma amostra de sua literatura contemporânea e uma visão atual da sua identidade, com a participação de 35 autores, incluindo Advaita Kala, C. S. Lakshmi, Amish Tripathi, Anushka Ravishankar e Rangnath Gabaji Pathare.

O reitor da Universidade de Guadalajara, Ricardo Villanueva Lomelí, disse na conferência de imprensa de hoje que a Índia é "uma nação que possui uma grande cena literária e se distingue pela sua indústria cultural, gastronómica e cinematográfica".

"Estamos convencidos de que a presença da Índia contribuirá para fortalecer os laços entre os dois países", acrescentou.

Além de exibir as melhores obras literárias, a Índia apresentará no FIL Forum espetáculos de dança indiana tradicional, contemporânea e clássica, além de música instrumental e de fusão.

O lendário escritor mexicano Octavio Paz (1914-1998), vencedor do Prémio Nobel de Literatura em 1990, será objeto de um debate através das "tabelas de Octavio Paz na Índia", lembrando a permanência do escritor naquele país.

A FIL Guadalajara, o maior acontecimento literário em espanhol, também sediará conferências e palestras sobre questões atuais, como a violência de género no México e a crise climática global.

O relacionamento entre os Estados Unidos será igualmente discutido em três colóquios, que abordarão a migração, com participantes como o embaixador dos EUA no México, Christopher Landau, e a secretária mexicana do Interior, Olga Sánchez Cordero.

Por ocasião do 500.º aniversário da conquista do México pelos espanhóis, haverá um colóquio dedicado às conotações antropológicas deste evento histórico.

Os escritores Afonso Cruz, David Machado, Patrícia Portela e a ilustradora Mariana a Miserável são alguns dos autores portugueses convidados a participar na FIL Guadalajara 2019.

No dia 06 de dezembro, os escritores David Machado e Patrícia Portela juntam-se ao angolano Ondjaki num encontro sobre "literatura em língua portuguesa". O mesmo painel repete-se no dia seguinte, desta vez com Afonso Cruz e Alexandra Lucas Coelho.

No âmbito da poesia, a FIL tem programados vários salões, que contarão com os poetas portugueses Raquel Nobre Guerra, Cláudia R. Sampaio, Vasco Gato e Luís Quintais.

Na secção da FIL dedicada aos profissionais, Portugal marca presença em dois fóruns -- Filustra e Desenho Editorial -- com a ilustradora Mariana a Miserável.

No dia 02 de dezembro, a autora portuguesa participa numa sessão só com mulheres, intitulada "Exploração visual feminina", integrada no tema "Construir universos ilimitados", da Filustra.

Dois dias depois, Mariana a Miserável volta a ser convidada, mas para o evento de design editorial, subordinado ao tema "Estímulos visuais que provocam inspiração", no painel "Ser multidisciplinar: desenvolver habilidades diversas".

Tópicos