Ilustrador João Fazenda é o vencedor do Prémio Nacional - BIG

| Cultura

O ilustrador João Fazenda é o vencedor do Prémio Nacional - BIG, atribuído ao abrigo da Bienal de Ilustração de Guimarães (Big), tendo o júri destacado o "dramatismo" e os "subtis detalhes" do trabalho com que o autor concorreu.

Na página do Facebook da Big, o júri, composto por Margarida Noronha, Jorge Silva e João Paulo Cotrim, revelou-se "surpreso" com a obra a concurso de João Fazenda, salientando o facto de ser "diferente do seu registo habitual" e considera que o premiado, que receberá além da distinção um prémio monetário de 5 mil euros, é "um dos mais talentosos ilustradores da atualidade".

A Big distinguiu ainda Carolina Celas com o Prémio BIG Revelação, que tem o valor pecuniário de 1500 euros, explicando a distinção com a "elegância na composição, assente em jogo de planos, usando perspetivas pouco habituais na ilustração editorial" revelada pelas propostas da autora.

"A composição amplia o dramatismo, todo ele pleno de subtis detalhes. Com um único material, tinta-da-china, Fazenda consegue dar-nos uma inesgotável paleta de registos gráficos que acentua o seu caráter experimental e não exclui o essencial da gramática a que nos tem habituado", escreveu o júri sobre a obra a concurso de João Fazenda.

O júri sublinhou ainda a "surpresa por um dos ilustradores mais talentosos da atualidade, que optou por propor a concurso trabalhos diferentes do seu registo habitual, com um preto e branco onde o contraste de luz e sombra se faz impressionante".

Quanto ao trabalho de Carolina Celas, o coletivo de jurados destacou que "os cenários que desenha acolhem delicadamente o movimento das figuras, possuindo estas intencional ingenuidade na representação do rosto humano".

Para o júri é ainda "de notar o contraste dinâmico das linhas arquitetónicas com o orgânico dos corpos, dos animais e das plantas" e o facto de "com recurso a materiais pouco habituais (marcador e lápis de cor), a autora consegue grande riqueza de texturas e notável frescura cromática".

João Fazenda nasceu em 1979 em Lisboa, é licenciado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa e o seu trabalho divide-se entre a ilustração, a animação, a banda desenhada, a pintura e o desenho.

O autor trabalha regularmente como ilustrador para publicações como a Visão, Público, The New York Times, The New Yorker, entre outros, tendo sido já galardoado com o Prémio Nacional de Ilustração 2015, o World Illustration Award, atribuído pelo Association of illustrators (UK) e pelo Directory of Illustration(USA) na categoria de ilustração para livros, o Grande Prémio Stuart-El Corte Inglês de Desenho de Imprensa 2007 e o Prémio António Gaio- Melhor filme de animação Português no Festival Cinanima para o filme "Sem Querer" em 2011.

Foi ainda várias vezes distinguido pela Society of News Design, 3X3 Proshow, Communication Arts e American Illustration.

A Bienal de Ilustração de Guimarães, que arrancou hoje e que tem em 2017 a primeira edição, quer "dignificar o papel dos ilustradores no desenvolvimento cultural".

Da programação destaca-se ainda a exposição do vencedor do Prémio Carreira atribuído a Luís Filipe de Abreu.

Tópicos:

Directory, Facebook, New York Times, Querer, Society News Design X Proshow Communication Arts American Illustration Bienal Ilustração,

A informação mais vista

+ Em Foco

O homem que se deixa guiar mais pela racionalidade e disciplina considera que chegou o momento de “mobilizar os portugueses e com eles restabelecer a confiança num futuro melhor”.

    Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

      Em entrevista ao programa Visão Global da Antena 1, o ministro dos Negócios Estrangeiros reforça o apoio ao diálogo político na Venezuela e falou sobre as relações entre Portugal e Angola.

      O ministro da Administração Interna garante em entrevista à Antena 1 que não será "nem para o ano, nem daqui por dois" que ser resolve o problema dos incêndios em Portugal.