Inês Campos estreia em Gaia nova peça sobre "ser só um e querer ser tantos"

por Lusa

Vila Nova de Gaia, Porto, 16 set 2019 (Lusa) -- A peça "Coexistimos", criada por Inês Campos, estreia-se na sexta-feira no Armazém 22, em Vila Nova de Gaia, e é uma "colagem de metáforas sobre o desafio de ser só um e querer ser tantos", segundo a apresentação da obra.

O espetáculo divide-se em "11 quadros", para cruzar linguagens e situações em torno do conceito de existência e identidade, pode ler-se na apresentação. Será apresentado pelas 21:00 de sexta-feira, 19:00 de sábado e 17:00 de domingo.

Inês Campos assume a conceção e interpretação desta produção da Eira, assente em várias residências artísticas, do Teatro do Campo Alegre à Högskolan For Scen Och Musik, em Gotemburgo.

Ao longo de cerca de 40 minutos, a portuense, que se divide entre trabalhos como atriz, performer, criadora e música, apresenta "linguagens que procuram manter-se autónomas", entre os vários fragmentos em que se divide a peça, todas elas a "cortar amarras com o bloco precedente e nada antecipando" o que se segue.

"Coexistimos" atravessa ainda a "crença firme de que as artes são promíscuas e gostam da companhia umas das outras", razão pela qual esta peça cruza dança, teatro, cinema, manipulação de objetos e arquitetura, para criar "uma sucessão de ilusões".

Nascida em 1990, Inês Campos tem trabalhado, recentemente, com a companhia francesa Pli, de Flora Détraz, na criação "Muyte Maker", numa carreira internacional marcada também pela companhia finlandesa WHS, com "Cutting Edge", entre 2016 e 2018.

Integrou "Icosahedron", de Tânia Carvalho, ao longo de sete anos, e tem criado espetáculos como "Rêve géneral", "HALE -- estudo para um organismo artificial", com o coletivo This Takes Time, ou "Sapins", a par de Raphaël Decoster, em 2015.

Formada em dança e teatro, trabalha também como cantora e violoncelista nas bandas 2=3 e Sopa de Pedra, completando o cruzamento artístico com vários trabalhos na área do `design` gráfico e artes visuais.

Tópicos