Morreu Danny Kirwan guitarrista dos Fleetwood Mac. Tinha 68 anos

| Cultura

O músico Danny Kirwan, antigo guitarrista do grupo de rock norte-americano-britânico Fleetwood Mac, faleceu em Londres, aos 68 anos, anunciou hoje, na rede social Facebook, Mick Fleetwood, cofundador do grupo.

Danny Kirwan, que conheceu enorme sucesso mundial nos anos 1970, morreu na sexta-feira.

"Danny foi uma enorme força nos nossos primeiros anos. O seu amor pelos blues levou-o a juntar-se aos Fleetwood Mac, em 1968, e foi ali que encontrou a sua casa musical durante muitos anos", escreveu Mick Fleetwood.

Criado na origem como grupo de blues, Fleetwood Mac tornou-se, nos anos de 1970, num dos mais consagrados grupos pop do mundo, tendo vendido mais de 100 milhões de álbuns.

O trabalho de Danny Kirwan no grupo pode ser ouvido nos álbuns "Then Play On" (1969), "Blues Jam at Chess" (1969), "Kiln House" (1970), "Future Games" (1971) e "Bare Trees" (1972).

"A verdadeira herança de Danny, na minha opinião, viverá para sempre na música que ele escreveu e tocou tão magnificamente, enquanto participou na fundação do grupo Fleetwood Mac, que está ativo há mais de 50 anos", acrescentou Mick Fleetwood.

"Obrigada Danny Kirwan. Serás recordado para sempre!", disse ainda.

Kirwan, que lutava contra uma dependência do álcool, foi excluído do grupo em 1972.

Viveu durante algum tempo na rua no início dos anos 1990, em Londres, segundo uma entrevista que deu ao jornal britânico The Independent, em 1993.

Fundado em 1967, com o nome dos seus fundadores Mick Fleetwood e John McVie, o grupo continua a fazer digressões com os novos elementos Mike Campbell e Neil Finn.

Tópicos:

Danny Kirwan, Fleetwood Mac,

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma semana depois de as chamas deflagrarem em Monchique, a Proteção Civil deu o incêndio como dominado e em fase de resolução. Portugal volta a ser o país com mais área ardida na Europa.

    Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

      É um desejo antigo do Homem poder tocar as estrelas. Um feito que parece ser agora "quase" alcançável através da missão espacial solar Parker.

        Entre as 21h00 de domingo e as 8h00 de segunda-feira, o mundo viu uma chuva de Perseidas, espetáculo habitual em agosto. Nos locais mais remotos, foi possível admirar melhor o fenómeno.