Morreu estrela do cinema da Coreia do Sul raptada em 1978 pela Coreia do Norte

| Cultura

|

Uma atriz sul-coreana, raptada por ordem do pai do atual líder da Coreia do Norte e obrigada a fazer filmes para o regime, morreu com 91 anos, anunciou hoje a família.

Choi Eun-hee foi, entre 1950 e 1970, uma estrela do cinema sul-coreano, antes de ser raptada por agentes norte-coreanos em Hong Kong em 1978, sob ordens de Kim Jong-il, um apaixonado pela sétima arte.

Pouco tempo depois, o ex-marido, o famoso realizador sul-coreano Shin Sang-ok, foi também raptado pelos norte-coreanos.

O casal foi obrigado a ficar na Coreia do Norte durante oito anos, tendo filmado em conjunto uma dezena de filmes a pedido de Kim Jong-il. Apesar da vigilância permanente de agentes norte-coreanos, os dois deslocavam-se com frequência ao estrangeiro para filmar ou para assistir a festivais de cinema.

Choi chegou a ser proclamada melhor atriz no festival internacional de cinema de Moscovo, em 1985, pelo papel em "Sal", sobre coreanos que combatem contra o colonizador japonês entre 1910 e 1945.

O casal, que se tinha divorciado em 1976, voltou a casar-se, durante uma viagem à Hungria, a pedido de Kim.

Depois de terem participado na Berlinale de 1986, os dois conseguiram fugir através da embaixada norte-americana em Viena. Viveram nos Estados Unidos durante mais de dez anos e só regressaram à Coreia do Sul em 1999.

Shin morreu em 2006. A vida do casal inspirou vários livros e filmes.

O funeral da atriz, que participou em mais de 100 filmes, muitos dos quais realizados por Shin, vai realizar-se na quinta-feira, em Seul.

A Coreia do Norte raptou centenas de sul-coreanos, ao longo das décadas que se seguiram à Guerra da Coreia.

Tópicos:

Berlinale, Hong Kong, Kim Jong, Seul, Shin Sang,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.