Museu da Presidência da República vence Prémio Acesso Cultura - Linguagem Simples

| Cultura

O Museu da Presidência da República, em Lisboa, é o vencedor do Prémio Acesso Cultura - Linguagem Simples 2018, pelo texto introdutório da exposição "Boa Viagem, Senhor Presidente", anunciou hoje a organização do galardão.

De acordo com a Associação Acesso Cultura, organizadora dos prémios, que distinguem as boas práticas nesta área, o galardão procura criar uma motivação adicional para estudar, implementar e dar a conhecer as boas práticas.

O prémio foi anunciado hoje no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, e entre 15 candidaturas foi distinguido o texto introdutório da exposição "Boa Viagem, Senhor Presidente! De Lisboa até à Guerra. 100 anos da primeira visita de Estado", tendo sido entregue uma menção honrosa à Formas Efémeras pelo texto da exposição Casa do Bombo de Lavacolhos, freguesia do concelho do Fundão.

A exposição com o texto premiado está patente até 29 de abril, no Palácio da Cidadela de Cascais, e abordava a primeira viagem de um chefe de Estado de Portugal ao estrangeiro, em outubro de 1917, realizada pelo então Presidente da República Bernardino Machado.

Passados 100 anos, a viagem foi recordada numa exposição promovida pelo Museu da Presidência da República com a colaboração do Museu Bernardino Machado, de Vila Nova de Famalicão, com mais de meia centena de objetos, documentos e fotografias cedidas pelo museu com o nome do presidente.

Nas palavras do júri do prémio: "De entre os vários textos que podemos encontrar numa exposição, é ao texto do painel de introdução que cabe, em primeira mão, a responsabilidade de influenciar a experiência da visita. É ao depararem-se com este texto que os visitantes se interrogam: `O que vou ver? Porque é que me querem mostrá-lo?`", justifica.

O texto vencedor do Prémio Acesso Cultura - Linguagem Simples 2018 "não deixa margem para dúvidas quanto ao que vai ser visto e ao porquê do tema escolhido", indica ainda o texto do júri.

O júri decidiu ainda atribuir uma menção honrosa à Formas Efémeras pelo texto da exposição Casa do Bombo de Lavacolhos, reconhecendo "uma tentativa importante e salutar de combinar um design expositivo claro com uma linguagem simples e acessível, pontuada por elementos complementares, capaz de fazer chegar a informação a públicos com diversos interesses e entendimentos".

O júri era composto por Cristina Nobre Soares, ´copywriter´ e ´storyteller´, Hugo Sousa, da área da comunicação cultural, e Rita Tomás, assistente de comunicação do Teatro Maria Matos (vencedor do Prémio Acesso Cultura - Linguagem Simples 2017).

Os prémios organizados pela Acesso Cultura têm como objetivo distinguir, divulgar e promover entidades e projetos que se diferenciam pelo desenvolvimento de políticas exemplares e de boas práticas na promoção da melhoria das condições de acesso aos espaços culturais e à oferta cultural, em Portugal.

Outro dos objetivos da organização é criar exigência junto dos públicos, nesta área.

Tópicos:

Bernardino Passados, Bombo Lavacolhos, Cidadela, Cristina Nobre, Viagem,

A informação mais vista

+ Em Foco

Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

    Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

      A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.