Participação de Portugal na Feira do Livro de Guadalajara foi apresentada hoje no México

| Cultura

A comissária da participação portuguesa na Feira do Livro de Guadalajara (México), Manuela Júdice, apresentou hoje a programação oficial e espera que, no final do evento, os visitantes "digam que Portugal é incrível".

A 32.ª edição da Feira do Livro de Guadalajara, a maior feira do livro da América Latina, decorrerá de 24 de novembro a 02 de dezembro e tem este ano Portugal como país convidado, tendo sido hoje apresentada toda a programação, numa conferência de imprensa na cidade mexicana.

Sobre a escolha de Portugal, o presidente da Feira do Livro, Raúl Padilla López, afirmou que a feira do livro quer assinalar os 154 anos de relações diplomáticas entre os dois países, e que o fará com a presença de dezenas de escritores e uma programação alargada a toda a cidade de Guadalajara.

A programação portuguesa já tinha sido anunciada praticamente na íntegra há várias semanas, revelando-se a presença de mais de 40 escritores portugueses, e alguns do espaço da lusofonia, além de outros nomes da cultura portuguesa, do teatro ao cinema, das artes visuais às artes plásticas e à arquitetura.

O pavilhão de Portugal tem um projeto arquitetónico do atelier Santa Rita Associados, com "um conceito eclético de abertura e recetividade de carinho do público", referiu Manuela Júdice.

Durante a feira, aquele pavilhão acolherá encontros de escritores e editores, sessões de leitura, apresentações de livros. É lá que estará também uma livraria com cerca de mil títulos em espanhol e português, e um espaço da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), focado na economia da cultura.

"Para nós, a cultura também é negócio, também é economia, é muito importante", frisou Manuela Júdice.

Entre os autores que estarão presentes na feira contam-se António Lobo Antunes, Manuel Alegre, Hélia Correia, Lídia Jorge, Dulce Maria Cardoso, Teolinda Gersão, Nuno Júdice, Gonçalo M. Tavares, José Luís Peixoto, Ricardo Araújo Pereira, e editores como Zeferino Coelho, Bárbara Bulhosa e Francisco José Viegas.

Ana Bacalhau, Capicua, Dead Combo, Amor Electro, Kátia Guerreiro, Gil do Carmo, Moonspell e Luís Represas estão entre os artistas que vão atuar em Guadalajara, alguns dos quais em parceria, em palco, com artistas mexicanos.

Germano Almeida, Mia Couto e José Eduardo Agualusa, três nomes da literatura africana e lusófona, seguem também na comitiva portuguesa.

Destaque ainda para a evocação de José Saramago, na feira do livro, por causa dos 20 anos da atribuição do Nobel da Literatura e pela relação do escritor português com o país e com o evento.

"Interessa-nos mostrar também o `depois de Saramago`, o que é que se está a fazer, o trabalho da fundação, o trabalho nos direitos humanos", explicou Manuela Júdice aos jornalistas.

Considerada a maior feira do livro da América Latina e a segunda maior do mundo (depois da freira de Frankfurt, na Alemanha), a Feira do Livro de Guadalajara conta anualmente com mais de 800 mil visitantes repartidos pelos nove dias, mais de duas mil editoras de 47 países, e mais de 700 escritores de diferentes línguas.

Terminada a feira e todo o trabalho de divulgação da cultura portuguesa, Manuela Júdice espera que no México "digam que Portugal é incrível", disse hoje a encerrar a intervenção na conferência de imprensa.

Tópicos:

Cardoso Teolinda Gersão, Frankfurt, Germano, Guadalajara México, Peixoto Araújo, Rita Associados, Viegas Bacalhau Capicua Dead Combo Amor Electro Kátia Guerreiro Gil,

A informação mais vista

+ Em Foco

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera, em entrevista à Antena 1, que Portugal tem a vantagem de não ter movimentos populistas organizados.

    Segundo um relatório da Amnistia Internacional, o número de mulheres vítimas de violência doméstica em Portugal continua elevado.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.