Proposta de criação de Museu da Resistência no Porto aprovada em comissão parlamentar

por Lusa

Os deputados aprovaram hoje, na especialidade, projetos de resolução do PCP e do Bloco de Esquerda que recomendam a instalação de um Museu da Resistência e Liberdade no Porto e a criação de uma Rede Nacional dos Museus da Resistência.

Os grupos parlamentares do PCP e do BE tinham apresentado propostas em separado, mas acabaram por submeter a votação um texto conjunto sobre a matéria, com votação favorável dos proponentes, do PS e com abstenção do PSD.

O BE recomenda a criação da Rede Nacional dos Museus da Resistência e a instalação do Museu da Resistência e Liberdade no Porto, enquanto o PCP defende a deslocalização do Museu Militar daquela cidade para que, no edifício, seja desenvolvido o projeto do Museu da Resistência Antifascista.

O texto conjunto hoje aprovado na comissão parlamentar de Cultura será submetido ainda a votação final global pelos deputados, na sexta-feira, antes do encerramento do Parlamento para férias.

Os dois partidos de esquerda pretendem que sejam envolvidas "organizações representativas da resistência ao fascismo, como a União de Resistentes Antifascistas Portugueses e o Movimento Cívico `Não Apaguem a Memória`".

Em abril, quando o projeto de resolução foi aprovado, o BE afirmava que a criação de um museu daquela natureza no Porto pretendia colmatar uma ausência, porque "a memória das lutas no norte do país não tem ainda um espaço museológico adequado".

Numa audição parlamentar no final de maio, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, afirmou que havia abertura "para trabalhar no projeto" de instalação de um museu da liberdade e da resistência no Porto.

Mas impunha que tal acontecesse em articulação com dois outros espaços museológicos: o Museu do Aljube -- Resistência e Liberdade, em Lisboa, e o Museu Nacional da Resistência e Liberdade -- Forte de Peniche, que abrirá na totalidade em 2020.

Tópicos
pub