Teatro Viriato de Viseu está apostado em "convocar a presença do público"

por Lusa

O Teatro Viriato, de Viseu, está apostado em "convocar a presença do público" com uma programação marcada por coproduções e parcerias com várias instituições, que foi hoje apresentada.

Em conferência de imprensa, a diretora do Teatro Viriato, Patrícia Portela, disse que, depois de tanto tempo de pandemia, há "uma vontade de carregar no acelerador e pôr tudo como estava".

"Queremos convocar de novo a presença. Há uma diferença entre estar em casa a ver e estar aqui a ver. Há uma diferença no cheiro, na cor, no tamanho, naquilo que aprendemos", considerou.

Com o objetivo de estar mais próximo do público, o Teatro Viriato passará a contar com um espaço no centro comercial Fórum, denominado Meia Dose, que propõe pequenas `performances`, apresentações de livros, conversas, vídeos e exposições, entre 22 de setembro e 16 de dezembro.

Patrícia Portela disse que esta será uma forma de "pescar público" e de "seduzir mais espectadores, mais cidadãos, mais cúmplices e mais artistas".

Entre outras, o Teatro Viriato terá também uma parceria com o Cine Clube de Viseu, que permitirá a estreia absoluta do cine-concerto "Filmitis versus Reinitis", no dia 15 de outubro.

Segundo Rodrigo Francisco, do Cine Clube de Viseu, será possível assistir em palco à "cumplicidade que vem de longe" entre o músico Rui Reininho e o realizador Edgar Pêra: as imagens do primeiro a interpretar, em direto, letras que escreveu há 40 anos, serão misturadas com imagens pré-gravadas pelo segundo.

Haverá também a reedição do livro de poesia de Rui Reininho, intitulado "Sífilis Versus Bílitis", acrescentou.

Outra estreia desta temporada é "Aleksei ou a Fé", de Sónia Barbosa (22 e 23 de outubro), que chegou a estar marcada para fevereiro e que consiste na última fase da trilogia do "Projeto Karamázov".

"É um bom exemplo de um espetáculo feito nas condições que nós queremos ter: que seja produzido aqui, traga muita gente a vir trabalhar para aqui e que seja apresentado aqui", disse Patrícia Portela.

Será ainda apresentado o resultado de várias coproduções, entre as quais a nova criação do coreógrafo Paulo Ribeiro, que celebra, com o espetáculo "Segunda 2" os 26 anos da sua companhia (nos dias 19 e 20 de novembro).

Patrícia Portela destacou também a parceria com o MEXE - 6.º Encontro Internacional de Arte e Comunidade, que acontecerá em Lisboa, Porto e Viseu.

"Vamos ter apresentações que vêm do Porto e também do Chile. Temos um grupo de adolescentes chilenas que nos vêm falar sobre o abuso e a violência nas ruas do Chile", referiu.

Nesta temporada, será ainda mantido o ciclo de música programado com a Galeria Zé dos Bois, de Lisboa.

Tópicos
pub