Um dia no CCB e dois livros com inéditos assinalam 25 anos da morte de Natália Correia

| Cultura

Os livros de Natália Correia "Descobri que Era Europeia" e "Entre a Raiz e a Utopia", que inclui inéditos, chegam às livrarias na sexta-feira, quando passam 25 anos sobre a morte da escritora.

O Centro Cultural de Belém (CCB) também homenageia a autora de "Mátria" e "O Vinho e a Lira", no próximo dia 24, data em que assinala o Dia Mundial da Poesia, que, como hoje anunciou, dedica por inteiro à vida e obra da poeta, como se definia.

Natália Correia morreu em 16 de março de 1993, aos 69 anos, e esta sexta-feira, quando se completam os 25 anos da sua morte, chegam às livrarias as obras "Descobri que Era Europeia" e "Entre a Raiz e a Utopia", publicadas pela editora Ponto de Fuga.

"Entre a Raiz e a Utopia" apresenta um conjunto de documentos, na sua maioria inéditos, que retrata a relação entre a escritora e o pensador, pedagogo, ensaísta e cooperativista António Sérgio, durante um período de quase 12 anos, entre 1946 e 1958, em plena ditadura do Estado Novo.

"Um encontro entre dois grandes vultos da cultura portuguesa do século XX, sob o signo da fraternidade humana e da paz", como escreve a editora, "ou, segundo as palavras de [António] Sérgio, na viva esperança de um `cooperativismo integral` enquanto `libérrima anunciação profética de uma humanidade diversa da que temos hoje`".

Por sua vez, "Descobri que Era Europeia" é um relato da visita da escritora aos Estados Unidos, em 1950, aos 26 anos, em forma de diário, ensaio e poesia. Na obra, são testemunhados os "sucessos e contradições" vividos na América, naquela época, que levam Natália Correia a conhecer as suas raízes europeias.

Esta edição é transcrita a partir do exemplar da primeira edição (1951), da biblioteca pessoal de Natália Correia, com as suas próprias anotações.

Na próxima semana, na celebração do Dia Mundial da Poesia, o CCB tem sete programas e intervenções alusivos à celebração da obra da escritora, entre os quais "Natália Correia, Deputada Parlamentar", "Vida na Poesia e Poesia na Vida: Origens Açorianas de Natália Correia", "1968-1974. Natália Correia Superstar?", "A diversidade criativa", "Natália Correia, a rebelde" e "À conversa com amigos de Natália", cruzando depoimentos de Cruzeiro Seixas, Manuel Murteira, António Valdemar e António Victorino de Almeida.

Será ainda abordado o processo movido contra a escritora, pela publicação de "A antologia da poesia erótica e satírica", nos anos da ditadura ("O julgamento de Natália Correia").

Na abertura da jornada falar-se-á sobre "A intervenção cívica e cultural" de Natália Correia, e o seu "pensamento inovador".

O Dia Mundial da Poesia (21 de março) será celebrado pelo CCB a 24 de março, das 15:00 às 19:00.

Natália Correia nasceu nos Açores, em 13 de setembro de 1923. Aos 11 anos fixou-se em Lisboa, onde trabalhou como jornalista e ativista política.

Foi uma das figuras mais importantes na literatura e na sociedade portuguesa do século XX, como destaca o CCB. Morreu em 16 de março de 1993, em Lisboa.

Tópicos:

CCB, Cruzeiro Seixas Murteira, Natália Correia, Poesia,

A informação mais vista

+ Em Foco

A fronteira entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda continua a ser a maior dor de cabeça interna de Theresa May.

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera, em entrevista à Antena 1, que Portugal tem a vantagem de não ter movimentos populistas organizados.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.