Administração da Glintt diz que "é aceitável" preço oferecido pela Farminveste

por Lusa

Lisboa, 13 out (Lusa) - O Conselho de Administração da Glintt anunciou hoje que o preço oferecido pela Farminveste, da Associação Nacional das Farmácias, sobre as ações da tecnológica portuguesa "é aceitável".

A Glintt recebeu no passado dia 05 de outubro os projetos de prospeto e de anúncio de lançamento da oferta pública geral e voluntária de aquisição de ações representativas do capital social da tecnológica, a qual tinha sido objeto de anúncio preliminar, a 15 de setembro, apresentado pela Farminveste 3 - Gestão de Participações SGPS.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o Conselho de Administração adianta que, "após análise da contrapartida da oferta e conjugando diversos fatores, é da opinião que a contrapartida é aceitável uma vez que, por um lado, reflete um prémio relevante face às cotações recentes e face aos múltiplos das congéneres, proporcionando liquidez para os acionistas com intenções de vender no curto prazo".

Por outro lado, referem os administradores da Glintt, antiga ParaRede, "as perspetivas de uma valorização relevante do preço da ação na situação atual, e não obstante a bondade da estratégia seguida e face à informação disponível, parece ser limitada a curto prazo".

A Farminveste 3 - Gestão de Participações SGPS, da Farminveste - Investimentos, Participações e Gestão, anunciou em meados de setembro uma oferta pública geral e voluntária de compra da totalidade das ações escriturais e nominativas com o valor nominal de um euro (1,00 euros), representativas do capital social da Glintt que não sejam detidas diretamente pela oferente.

O capital social da Glintt é representado por 86.962.868 ações ordinárias nominativas e escriturais.

"Tendo em conta as ações detidas diretamente pela oferente e que a Glintt não detém quaisquer ações próprias, os valores mobiliários objeto da oferta são 43.716.248 ações, pelo que o montante potencial máximo dos fundos necessários à aquisição da totalidade das ações é de 10.535.615,77 euros", refere a Glintt no comunicado, onde justifica a análise da oferta lançada pela participada da Associação Nacional de Farmácias.

Sobre o financiamento da totalidade da operação, a Farminveste 3 adianta no prospeto, citado pela Glintt, "ter já garantida a totalidade dos fundos necessários ao pagamento da contrapartida referida, por entradas de capital dos sócios ou outras estruturas de reforço de capitais próprios legalmente admissíveis".

A contrapartida oferecida na operação é de 0,241 euros por cada ação, representando, segundo a oferente, "um prémio de cerca de 15% relativamente ao preço médio ponderado" dos títulos no mercado regulamentado nos seis meses anteriores ao anúncio da oferta, de acordo com a Farminveste 3.

Além disso, representa um prémio de 33,1% relativamente ao valor do fecho das ações a 15 de setembro e um prémio de 8,1% face ao preço médio ponderado pelo volume dos 12 meses anteriores ao anúncio da operação.

O Conselho de Administração da tecnológica adianta que "é relevante referir que desde 09 de abril de 2015 até à data de divulgação do anúncio preliminar" o preço dos títulos da Glintt transacionados em bolsa "nunca atingiu a contrapartida da oferta".

Caso a Farminveste atinja ou ultrapasse os 90% dos direitos de voto correspondentes ao capital social da Glintt ou 90% dos direitos de voto abrangidos pela oferta, prevê recorrer ao mecanismo de aquisição potestativa, o que levará a empresa à saída de bolsa.

pub