Analistas estimam subida ligeira da prestação de crédito à habitação em 2018

| Economia

As prestações pagas pelas famílias aos bancos pelo crédito à habitação voltaram a descer em 2017, mas menos do que em anos anteriores, e para 2018 os analistas estimam uma subida ligeira.

A Lusa publica todos os meses a evolução das prestações pagas pelos clientes bancários que têm empréstimo para compra de casa, segundo os cálculos feitos pela Deco/Dinheiro&Direitos, tendo em conta a variação das taxas Euribor, que são o indexante de referência da maior parte dos créditos à habitação em Portugal.

Para 2018, os analistas contactados pela Lusa admitem que as taxas Euribor possam vir a subir ligeiramente, continuando em terreno negativo, o que terá como impacto um aumento ligeiro das prestações das famílias com crédito à habitação.

Filipe Garcia, da IMF - Informação de Mercados Financeiros, diz que é mais provável alguma subida destas taxas na segunda metade de 2018.

A mesma previsão faz João Lampreia, do Banco BIG, que afirma que estas taxas estão "condicionadas às taxas de juro do BCE [Banco Central Europeu]", pelo que admite uma variação das Euribor mais significativa nos meses finais de 2018.

Ainda assim, ambos os analistas preveem que as taxas Euribor apenas se aproximem dos 0% no final do ano, afastando que saiam de terreno negativo, pelo que o impacto nas prestações de crédito à habitação deverá ser ainda limitado.

Comparando o valor de prestação pago no início e no fim de 2017, no caso de um empréstimo no valor de 150 mil euros a 30 anos, indexado à Euribor a seis meses com um `spread` (margem de lucro do banco) de 1%, este desceu 3,78 euros ao longo de 2017 (de 467,59 euros em janeiro para 463,81 euros em dezembro).

Já no caso de um empréstimo nas mesmas condições, mas indexado à Euribor a três meses, a prestação desceu 87 cêntimos (de 461 euros em janeiro para 460,13 euros em dezembro) em 2017.

Esta variação é bem menos significativa do que as registadas nos anos anteriores (2014, 2015 e 2016), quando a prestação de crédito à habitação caiu, nas mesmas simulações, mais de dez euros por ano.

A contribuir para esta evolução estão as taxas Euribor, que em 2017 `afundaram` menos do que em anos anteriores.

A média mensal da Euribor a seis meses, que era em dezembro de 2016 de -0,218%, fixou-se em -0,271% em dezembro de 2017.

Já a taxa a três meses fixou-se em -0,328% em dezembro último, que compara com -0,316% do último mês de 2016.

Tópicos:

BCE [Banco, Garcia,

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.