Antecipada paragem na Autoeuropa devido ao lançamento do novo veículo em agosto

| Economia

A Autoeuropa vai antecipar o habitual período de `shutdown´ para a última semana de junho e primeira de julho, devido ao arranque da produção de um novo veículo em agosto, revelou hoje fonte da empresa à agência Lusa.

A fábrica de automóveis da Volkswagen em Palmela fecha habitualmente durante o mês de agosto, mas o lançamento previsto para esse mês de um novo veículo, que já está em fase de produção experimental, obrigou a empresa a reprogramar o habitual período de encerramento durante o verão [`shutdown`].

A produção do novo veículo obrigou o grupo Volkswagen a proceder a um investimento de 677 milhões de euros na instalação de uma nova plataforma multimodal, de forma a permitir a produção de diversos modelos de automóveis na unidade industrial de Palmela, no distrito de Setúbal.

A Autoeuropa não só não foi afetada pela redução anunciada de cerca de 30.000 postos de trabalho no grupo alemão, 23.000 dos quais em fábricas na Alemanha, como, tal como estava previsto, tem estado a proceder à contratação de novos colaboradores devido ao arranque da produção do novo veículo na fábrica de Palmela.

As exportações da Autoeuropa, que o ano passado comemorou os 25 anos em Portugal em cerimónia com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do primeiro-ministro, António Costa, representaram cerca de 1,0% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015, valor significativo para a economia nacional, mas longe do máximo de 2,2% do PIB, em 1998.

 

 

Tópicos:

Alemanha, Interno Bruto PIB, Palmela, Volkswagen,

A informação mais vista

+ Em Foco

O principal partido da oposição pede aos angolanos que não se intimidem com as acusações do partido no poder, MPLA.

Começou a série de 18 debates com candidatos às autárquicas na RTP. Veja aqui o resumo do primeiro: Bragança.

É portuguesa a única equipa do mundo que faz o despiste genético de cancro do estômago hereditário.

Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A Antena 1 fixa o país em 20 retratos.