CDS-PP desafia "partidarite" da esquerda e apela ao voto no pacote da natalidade

| Economia

O CDS-PP desafiou hoje os partidos de esquerda a porem de lado "a partidarite" e aprovarem o pacote de incentivo à natalidade, na quinta-feira, no parlamento, por ser um desígnio e uma prioridade nacionais.

"A nossa expectativa é que possa haver abertura e possam ser aprovadas e discutidas", afirmou o dirigente e deputado Miguel Anacoreta Correia numa conferência de imprensa, na sede nacional do CDS, ao lado da líder do partido, Assunção Cristas.

O CDS anunciou que parte das 23 medidas hoje apresentadas -- sete projetos de lei e dois projetos de resolução -- serão transformadas em propostas para o Orçamento do Estado de 2019, em debate no parlamento a partir de 15 de outubro.

"Sendo esta a prioridade, devem ser as políticas para a família a condicionar o exercício orçamental e não o inverso", justificou, qualificando ainda de desígnio nacional o objetivo de inverter a queda da natalidade.

O deputado democrata-cristão afirmou a expectativa de que, na Assembleia da República, "possa haver mais do que uma partidarite" que tem levado os partidos, nomeadamente da esquerda, a chumbar as propostas do CDS, como aconteceu com o anterior pacote da natalidade.

A informação mais vista

+ Em Foco

A receita da venda desta madeira ultrapassará os 15 milhões de euros, que devem ser investidos na nova Mata do Rei.

Mação, que ardeu no mês passado, era apontado como o concelho modelo na prevenção de incêndios. Nada impediu que o fogo voltasse.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.