CDS-PP desafia "partidarite" da esquerda e apela ao voto no pacote da natalidade

| Economia

O CDS-PP desafiou hoje os partidos de esquerda a porem de lado "a partidarite" e aprovarem o pacote de incentivo à natalidade, na quinta-feira, no parlamento, por ser um desígnio e uma prioridade nacionais.

"A nossa expectativa é que possa haver abertura e possam ser aprovadas e discutidas", afirmou o dirigente e deputado Miguel Anacoreta Correia numa conferência de imprensa, na sede nacional do CDS, ao lado da líder do partido, Assunção Cristas.

O CDS anunciou que parte das 23 medidas hoje apresentadas -- sete projetos de lei e dois projetos de resolução -- serão transformadas em propostas para o Orçamento do Estado de 2019, em debate no parlamento a partir de 15 de outubro.

"Sendo esta a prioridade, devem ser as políticas para a família a condicionar o exercício orçamental e não o inverso", justificou, qualificando ainda de desígnio nacional o objetivo de inverter a queda da natalidade.

O deputado democrata-cristão afirmou a expectativa de que, na Assembleia da República, "possa haver mais do que uma partidarite" que tem levado os partidos, nomeadamente da esquerda, a chumbar as propostas do CDS, como aconteceu com o anterior pacote da natalidade.

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.

      Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

        Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.