CGD prevê entregar 2.000 ME em dividendos até 2023

por Lusa

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) prevê entregar aos investidores 2.000 milhões de euros em dividendos até 2023, decisão que está dependente da administração do banco, anunciou hoje o presidente da Comissão Executiva.

"O Conselho de Administração terá que se reunir para perceber o que vai fazer. O compromisso da Caixa é devolver o máximo de dinheiro e quererá pagar dividendos compatíveis com vários aspetos, de acordo com a sua política e questões de prudência", sublinhou, em conferência de imprensa, o presidente da Comissão Executiva da CGD, Paulo Macedo.

Paulo Macedo adiantou que o banco poderá entregar mil milhões de euros até junho do ano que vem, a que se poderão somar mais mil milhões de euros até 2023, "se as coisas correrem bem".

Esta decisão final só será tomada pela administração do banco no quarto trimestre.

Em 31 de maio, a assembleia-geral da CGD aprovou um dividendo de 83,6 milhões de euros, referente a 2020, para entregar ao Estado, de acordo com um comunicado remetido ao mercado.

A CGD registou 294 milhões de euros de lucro no primeiro semestre, mais 18% do que no período homólogo, foi hoje anunciado.

Tópicos
pub