CMVM pronunciou-se em 12 contraordenações e aplicou coimas de 320 mil euros até março

| Economia

|

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) anunciou hoje ter deliberado no primeiro trimestre em 12 processos de contraordenação dos quais resultaram coimas de 320 mil euros e quatro admoestações.

Em comunicado, o regulador do mercado adianta que quatro destes processos de contraordenação foram instaurados por violação dos deveres de informação ao mercado, dois por violação dos deveres de intermediação financeira, três devido à atividade dos organismos de investimento coletivo e outros três na sequência da atuação dos auditores.

"As decisões tomadas entre janeiro e março respeitam a seis processos de contraordenação muito graves e seis processos de contraordenação graves, tendo sido aplicadas coimas no total de 320 mil euros e quatro admoestações", refere.

Segundo a CMVM, de janeiro a março foram instaurados nove processos de contraordenação, dois por violação dos deveres de intermediação financeira, três relativos à atividade dos organismos de investimento coletivo, dois relativos à atuação dos auditores, um por violação dos deveres de informação ao mercado e um relativo à violação dos deveres de negociação em mercado.

No final do primeiro trimestre encontravam-se pendentes de decisão nos tribunais sete processos e em curso na CMVM 104 processos de contraordenação.

Destes, 33 respeitam a violações de deveres de intermediação financeira, 26 à atividade dos organismos de investimento coletivo, 16 a violações de deveres de informação, 17 a violação de deveres de negociação em mercado, 11 são referentes à atuação dos auditores e um é relativo à atuação dos peritos avaliadores de imóveis.

 

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.