Concurso para a expansão do Metro do Porto foi impugnado judicialmente

por RTP

A impugnação tem efeito suspensivo e foi interposta por uma empresa de construção por alegada violação da lei e da concorrência.

Em causa está a construção da linha circular que ligará a Praça da Liberdade à Casa da Música e da linha amarela entre Santo Ovídio a Vila D'Este.

O advogado da empresa explica que o grupo não apresentou propostas, por entender que os prazos estavam suspensos, devido à pandemia e contesta que não tenha havido prorrogação, após o confinamento.

A empresa avançou com processo em tribunal depois ter sido notificada dos resultados do concurso.

As obras devem arrancar ainda este ano e vão durar três anos.

O Governo autorizou a Metro do Porto a gastar até 407 milhões de euros com esta expansão.
pub