É "razoável" o aumento de 100 euros no salário mínimo, diz CIP

por RTP

Entrevistado pela Antena1 e pelo Jornal de Negócios, o presidente da CIP entende haver possibilidades para um aumento do salário mínimo na ordem dos 100 euros durante a próxima legislatura. Centrais sindicais acham pouco.

O presidente da CIP - Confederação Empresarial de Portugal considera "perfeitamente razoável" um aumento de 100 euros no Salário Mínimo Nacional (SMN) durante os próximos quatro anos. A subida até pode ser superior "se a economia o permitir", alvitra António Saraiva, entrevistado este domingo no programa da Antena1 Conversa Capital.
Saraiva dá conta de que a CIP tem negociações em curso com o governo indigitado para definir "a melhor fórmula" para ajustar os próximos aumentos do salário mínimo, advertindo que "evoluções abruptas" do SMN põem em risco a estabilidade das empresas mais fragilizadas e expostas à concorrência internacional, que é perversa".


"Sabe a pouco"

Reagindo às declarações da António Saraiva, as centrais sindicais consideram que é preciso ir mais  longe na evolução do SMN ao longo da próxima legislatura. Um aumento correspondente a 25 euros por ano "é pouco", ajuíza o líder da UGT, também em declarações à rádio pública. No entanto, Carlos Silva assinala positivamente a abertura da CIP para a negociação deste assunto em sede de Concertação Social, o que pode traduzir-se numa aproximação aos valores propostos pela central sindical.
Do lado da CGTP Intersindical, Arménio Carlos considera que a base de partida avançada pelo presidente da CIP "é insuficiente". A proposta da Intersindical para o SMN é de aumento para 850 euros "a curto prazo", sendo que esta central sindical admite discutir, não este valor, mas o prazo para o implementar.