Economia Verde leva delegação do sul da China a Lisboa

| Economia

Mais de 60 responsáveis e empresários do sul da China visitam, de quarta a sexta-feira, agências e empresas portuguesas para fomentar a rede de ligações com os países lusófonos e a cooperação na área da proteção ambiental.

A delegação da região do Pan-delta do Rio das Pérolas vai visitar a Associação das Empresas Portuguesas para o Setor do Ambiente, a Agência Portuguesa do Ambiente, a Águas de Portugal, e as empresas Ecoserviços-Gestão de Sistemas Ecológicos e BEWG, esta do grupo chinês liderado pela Beijing Enterprises Water Group, indicou, numa nota enviada hoje à Lusa, o Instituto de Promoção do Comércio e Investimento de Macau (IPIM), que organizou a visita.

A iniciativa "Visita Verde" visa permitir "aos governos das nove províncias e regiões do Pan-delta do Rio das Pérolas e às empresas do setor da proteção ambiental um intercâmbio de ideias e de cooperação no âmbito da transformação, elevação do nível e diversificação das tecnologias de proteção ambiental", acrescentou.

A região é composta pelas províncias de Fujian, Jiangxi, Hunan, Cantão, Guangxi, Hainan, Sichuan, Guizhou, Yunnan e pelas regiões administrativas especiais chinesas de Hong Kong e Macau.

Antes da chegada a Portugal, o grupo, liderado pelo presidente do IPIM, Jackson Chang, vai passar por Frankfurt, na Alemanha, para uma visita idêntica.

Desde 2016 que o Governo de Macau tem vindo a aprofundar a cooperação regional na zona do Pan-delta do Rio das Pérolas, através da constituição de delegações de representantes destas províncias para a cooperação com os mercados lusófonos e europeus.

Tópicos:

Beijing Enterprises Water Group, Ecológicos, Frankfurt, Hong Kong, Macau, Pérolas,

A informação mais vista

+ Em Foco

A presidente do CNAPN diz que a chave está nos líderes das mesquitas e pede mais apoio do Alto Comissariado para as Migrações.

    Marco Aurélio de Mello considera que a prisão de Lula da Silva, após condenação em segunda instância, viola a Constituição brasileira.

      Sintra podia ser uma "mini Davos". A sugestão foi feita informalmente por um dos académicos que participou na reunião do BCE concluída em 20 de junho.

        Dados revelados no Digital News Report de 2018 do Reuters Institute.