Euribor mantêm-se a 3, 6 e 9 meses e renovam mínimos a 9 meses

| Economia

As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três, seis e nove meses e desceram para um novo mínimo a 12 meses em relação a terça-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, voltou hoje, pela décima primeira sessão consecutiva, a ser fixada em -0,329%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, também se manteve hoje, pela quarta sessão consecutiva, em -0,275%, contra -0,276%, atual mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 30 de outubro.

A nove meses, a Euribor foi hoje fixada de novo em -0,218%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,224, registado pela primeira vez em 27 de outubro.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, recuou hoje para -0,192%, um novo mínimo de sempre e menos 0,001 pontos do que na terça-feira.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.