Euribor mantêm-se a 3, 9 e 12 meses e descem a 6 meses

| Economia

As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três, nove e 12 meses e desceram a seis meses em relação a quinta-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, voltou hoje, pela 18.ª sessão consecutiva, a ser fixada em -0,329%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, desceu para -0,272%, menos 0,001 pontos e contra -0,276%, atual mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 30 de outubro.

A nove meses, a Euribor manteve-se hoje pela quarta sessão consecutiva em -0,218%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,224, registado pela primeira vez em 27 de outubro.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, também voltou, pela quarta sessão consecutiva, a ser fixada em -0,186%, contra -0,192%, atual mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 15 de novembro.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.