Euribor mantêm-se a 3, 9 e 12 meses e descem a 6 meses

| Economia

As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três, nove e 12 meses e desceram a seis meses em relação a quinta-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, voltou hoje, pela 18.ª sessão consecutiva, a ser fixada em -0,329%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, desceu para -0,272%, menos 0,001 pontos e contra -0,276%, atual mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 30 de outubro.

A nove meses, a Euribor manteve-se hoje pela quarta sessão consecutiva em -0,218%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,224, registado pela primeira vez em 27 de outubro.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, também voltou, pela quarta sessão consecutiva, a ser fixada em -0,186%, contra -0,192%, atual mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 15 de novembro.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

A informação mais vista

+ Em Foco

A Redação da RTP votou sobre as figuras e acontecimentos mais destacados, a nível nacional e internacional. Veja aqui as escolhas.

    O embaixador russo em Lisboa afirma, em entrevista à RTP, que as declarações e decisões de Donald Trump sobre Jerusalém podem incendiar todo o Médio Oriente.

    Rui Rosinha, bombeiro de Castanheira de Pêra, sofreu queimaduras de terceiro grau e esteve dez horas à espera de ser internado. Foi operado 14 vezes e regressou a casa ao fim de seis meses.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.