Euro sobe pela terceira sessão consecutiva e aproxima-se de 1,17 dólares

| Economia

O euro subiu hoje face ao dólar, pela terceira sessão consecutiva, e aproximou-se dos 1,17 dólares, um dia após Angela Merkel ter garantido que a UE fará todos os esforços para evitar uma guerra comercial com os EUA.

Às 18:00 (hora de Lisboa), o euro negociava a 1,1697 dólares, quando na quarta-feira, pelas 18:38, seguia a 1,1674 dólares.

O euro também subiu face ao iene e à libra.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou hoje a taxa de câmbio de referência do euro em 1,1709 dólares.

A chanceler alemã, Angela Merkel, garantiu, na quarta-feira, que a União Europeia (UE) fará todos os esforços para evitar uma guerra comercial com os Estados Unidos, mas sublinhou que Washington precisa de participar neste esforço.

A administração do presidente Donald Trump impôs tarifas sobre as importações de aço e alumínio da UE e está a equacionar acrescentar tarifas à importação a carros, camiões e peças para automóveis.

A este respeito, Merkel afirmou, no parlamento alemão: "Vale a pena cada esforço para tentar desarmar este conflito para que ele não se transforme numa guerra real, mas é claro que há dois lados nisto".

A governante acrescentou que o bom funcionamento da economia mundial depende de os países trabalharem juntos como parceiros.

Divisas..........hoje..................quarta-feira

Euro/dólar......1,1697.................... 1,1674

Euro/libra......0,88473.................. 0,88194

Euro/iene.......129,41.................... 128,93

Dólar/iene......110,63.................... 110,44

Tópicos:

Divisas,

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.